Menu
Inicio Saúde Yoga pode ajudar no tratamento de distúrbios alimentares

Yoga pode ajudar no tratamento de distúrbios alimentares

O Yoga pode ser um aliado poderoso na redução de sintomas associados aos distúrbios alimentares, de acordo com uma investigação.

O Yoga pode ser um aliado poderoso na redução de sintomas associados aos distúrbios alimentares, com a prática a ter benefícios que se prolongam no tempo.

A conclusão é de uma investigação, agora publicada no International Journal of Yoga, que analisou o impacto de um programa de Yoga de 11 semanas em mulheres diagnosticadas com bulimia nervosa ou outro distúrbio alimentar.

O grupo participou em aulas de grupo de Yoga Hatha de 90 minutos, duas vezes por semana, tendo também sido encorajado a praticar em casa. As aulas focaram-se no conhecimento do corpo, postura, exercícios de respiração, concentração e meditação, terminando com exercícios de relaxamento profundo.

Adicionalmente foram ainda passados, a estas mulheres, conhecimentos associados à filosofia do Yoga, destacando-se a natureza não competitiva e livre de julgamento pela qual o Yoga se caracteriza. A par das aulas de Yoga, o grupo teve ainda aulas de nutrição e educação acerca de distúrbios alimentares.

Os benefícios do Yoga nos distúrbios alimentares

Após o período de observação, as participantes foram entrevistadas por um psicólogo em dois momentos: logo a seguir às 11 semanas de aulas e, uma segunda vez, seis meses depois de o estudo ter sido realizado.

Os investigadores descobriram que o Yoga teve benefícios, que se prolongaram ao longo do tempo, nos sintomas associados à restrição alimentar e preocupação com a comida. Contudo, os mesmos benefícios foram menos visíveis no que respeita às áreas ligadas à imagem do corpo e preocupações com peso.

Os dados indicam que o Yoga pode ser uma poderosa terapia complementar no caso das pessoas a quem foi diagnosticado um distúrbio alimentar – especialmente se este for praticado em contexto de grupo.

As investigações futuras deverão focar-se, agora, nas técnicas, posturas, exercícios de respiração e formas de meditação mais indicadas para este tipo de quadro clínico, assim como, potenciais diferenças entre a prática em grupo e de forma individual.


Leia também

 Copo menstrual é saudável, mas tem de o usar assim

Brand Story