Menu
Inicio Sexo O que é, afinal, uma ‘vagina normal’

O que é, afinal, uma ‘vagina normal’

Se alguma vez se ajoelhou sobre um espelho e se sentiu chocada pelo que viu, ou se comparou desfavoravelmente com o imaginário disponível na internet, então não foi a única.

Enquanto a maioria de nós sabe qual é a aparência do pénis a partir da adolescência, as vaginas são notavelmente misteriosas. Desde a nascença, as mulheres são ensinadas a serem reservadas, tímidas e por vezes até a sentirem-se envergonhadas com o que se passa entre as suas pernas.

Com termos de comparação muito limitados à disposição, pode tornar-se difícil saber qual é o aspeto da normalidade. Os lábios firmes e habitualmente sem pelos perpetrados nos filmes pornográficos não ajudam, deixando uma sensação de insegurança às mulheres e expectativas irrealistas aos homens sobre a genitália feminina.

 

Vaginas por design

A busca pela vagina perfeita ganhou peso na última década com um aumento exponencial do número de labioplastias. De acordo com a International Society of Asthetic Plastic Surgery, o número de labioplastias atingiu um pico em 2016, com mais 45% de cirurgias realizadas, que em anos anteriores.

Esta é uma cirurgia para reduzir os lábios internos da vulva. Enquanto algumas mulheres optam por modificar cirurgicamente o tamanho dos lábios por motivos de saúde (como desconforto ou dor durante o sexo), muitas mulheres optam por este tratamento apenas por motivos estéticos.

 

Afinal, o que é uma vagina normal?

Se está preocupada com o tamanho, forma, cor ou aparência da sua vagina, não precisa de estar. As vaginas podem ter várias formas e feitios, mas o importante é que funcionem normalmente. “Como o resto do corpo humano, as vaginas vêm em todas as formas e tamanhos. Desde os lábios ao odor até à elasticidade e cor, não existe normalidade“, explica Vanessa Mackay, da Royal College of Gynaecologists. “As mulheres são constantemente sujeitas a imagens do ‘corpo ideal’, que pode resultar na perda de confiança e em dúvidas sobre a aparência da sua própria vagina”.

“Parte desta insegurança deve-se ao facto de não falarem umas com as outras sobre o que está projetado nos media”, acrescenta. “Ao serem mais abertas umas com as outras, as mulheres vão entender que não existe tal coisa como uma vagina normal e isto terá um impacto positivo na sua saúde íntima, imagem corporal ou até nas suas vidas sexuais”. De facto, um estudo recente conduzido pela Vagisil denotou que, mais de um quinto (21%) das mulheres que falaram abertamente sobre as suas vaginas, dizem que o fizeram para melhorar a sua autoconfiança.

Se a Dra Mackay não a convenceu, o maior estudo alguma vez feito sobre vulvas vai convencê-la: não existem vulvas normais. Investigadores do Lucern Cantonal Hospital, na Suiça mediram 650 mulheres entre os 15 e os 84 anos. Este estudo descobriu uma diversidade tão grande, que defenir alguma média seria derturpar a realidade da maioria das mulheres. Isto prova que não existe um tamanho standard nem nenhuma forma a alcançar.

 

Quando é que me devo preocupar com a minha vagina?

A menos que sinta dor, desconforto, comichão ou sensação de ardor, não precisa de se preocupar com a sua vagina. “Os lábios interiores (que circundam a abertura da vagina) têm uma grande variedade de comprimentos de mulher para mulher”, explica Shirin Lakhani, especialista em estética.

“Frequentemente existe uma diferença entre o lábio esquerdo e o direito, portanto é completamente normal se os seus têm um tamanho diferente. Também o clítoris e os lábios externos variam em tamanho e, claro, em largura, ajustando-se durante o sexo e quando dá à luz”.

“Se alguém tem, de facto, um problema quanto à aparência dos seus lábios, à flacidez ou à incontinência urinária, então existe uma série de tratamentos disponíveis que podem oferecer soluções”, adianta. Se tem alguma preocupação visite o seu médico de família, o seu médico de planeamento familiar ou vá a um ginecologista para ficar tranquila.

 

Dar à luz vai esticar a minha vagina?

A vagina é altamente elástica, pelo que, durante o trabalho de parto, vai esticar para permitir a passagem do bebé, mas as mudanças que ocorrem são, normalmente, temporárias. “É importante lembrar que a vagina se estende para acomodar o pénis durante o ato sexual, tal como faz durante o trabalho de parto. Mas não vai tardar muito até a sua vagina voltar à forma original“, explica a Dra. Lakhani.

“Um conjunto de fatores contribuem para a elasticidade da sua vagina – a sua vagina pode ficar menos apertada à medida que envelhece e tem filhos, mas, regra geral, os músculos expandem-se e retraem-se tal como um acordeão ou um elástico”, elucida ainda a especialista.

Exercícios para o pavimento pélvico

Também conhecidos como exercícios Kegel, os exercícios para o pavimento pélvico podem ajudar a tonificar a sua vagina e os músculos depois do parto. Este movimento simples também é útil para prevenir a incontinência e pode aumentar o prazer sexual.

Veja a galeria e saiba como fortificar o seu pavimento pélvico.

Artigo originalmente publicado na Women’s Health Uk.


Leia Também

https://www.womenshealth.pt/saude/motivos-vagina-da-sinais-vida/

Brand Story