Menu
Inicio Beleza O segredo das famosas para umas pestanas perfeitas

O segredo das famosas para umas pestanas perfeitas

O resultado implica a ilusão de que os olhos são maiores, o olhar fica mais intenso e está sempre pronta para enfrentar o mundo.

Não tirava a maquilhagem antes de se deitar, até ficar quase cega

Estar arranjada sem parecer que se esforçou demasiado parece ser a nova tendência, mas, por vezes, a própria anatomia pode não ajudar. Ora porque tem as sobrancelhas demasiado grossas, ora porque tem algumas manchinhas na pele, ora porque até as pestanas não são do seu agrado. As boas notícias são que, para todas estas situações, já existe uma solução (mesmo que não seja permanente).

No caso das pestanas, por exemplo, até há bem pouco tempo, a opção recorrente era ter de aplicar, todos os dias de manhã, a máscara de pestanas. Os produtos disponíveis no mercado são diversos e variam sobretudo na estrutura do pincel, no tipo de cerdas, na cor, no tipo de projeção que proporcionam ou no facto de serem ou não à prova de água (se não dispensa este último tipo de máscara de pestanas, este artigo da Women’s Health é aquilo que procura).

Embora a aplicação de máscara de pestanas seja o modelo mais comum na rotina de maquilhagem, existem novas alternativas que podem facilitar bastante a sua vida. Já ouviu falar na técnica de extensão de pestanas? A Women’s Health falou com Sandra Cunha, especialista em extensão de pestanas e dona da Academia da Pestana Sandra Cunha e Dora Matias e com Danila Valério, especialista da Wink conta-lhe tudo o que precisa de saber sobre este método.

Extensão de pestanas? Um mundo por descobrir

Não, ninguém vai pegar nas suas pestanas e, como que por magia, esticá-las para que pareçam maiores, mais grossas e com mais projeção. Quando falamos na extensão de pestanas referimo-nos a uma técnica “que dá alongamento e espessura à pestana natural”, com recurso a “pelos sintéticos que se aplicam nas pestanas naturais”, explica Sandra Cunha.

A extensão de pestanas consiste em colar, com uma cola especialmente desenvolvida para a zona ocular, um pelo sintético em cada pestana natural. É esse pelo que vai dar a sensação de que a pestana ficou maior e com mais volume. Apesar de a escolha da técnica e do próprio pelo depender do objetivo da cliente (se pretende uma extensão mais discreta ou uma que se note mais), Sandra apenas trabalha com pelos sintéticos.

Mais opções

Além das pestanas de pelo sintético, estão ainda disponíveis pestanas em seda e e de seda ultralight, as favoritas de Danila Valério. A especialista da Wink garante o conforto da seda ultralight, o tipo de fios que mais usa. “Nas primeiras vezes, especialmente se a pessoa já tiver mais idade, o que indicamos é um material mais confortável, que se adapte aos olhos”, explica Danila.

Segundo a Wink, o modelo de seda permite um efeito mais confortável e mais natural. A seda ultralight, por sua vez, intensifica ainda mais as qualidades da seda, sendo mais leve e também mais natural. Quem opta por pestanas sintéticas procura sobretudo um efeito mais intenso. “Temos de usar sempre, pelo menos, três tamanhos de pestanas num olho só, para não ficar com pestanas direitas, a parecer uma vassoura”, explica Danila entre risos.

No fundo, vai conseguir a ilusão de que tem sempre a máscara aplicada impecavelmente, pelo menos durante as três semanas que dura este procedimento – pois, a cola vai perdendo força. Além disso, as extensões acompanham o ciclo de vida da pestana natural. Nunca tinha pensado sobre isso? Na verdade, as pestanas têm um ciclo de vida entre 20 e 60 dias, o que significa que existe uma renovação constante.

Uma técnica para cada objetivo

Como foi referido anteriormente, dependendo do objetivo da cliente, também o método difere. No entanto, a chave está na modelagem correta, que é essencial para garantir o sucesso da extensão de pestanas. O tamanho da pestana aplicada varia de pessoa para pessoa e isso acontece através da escolha da modelagem e “das características de cada olho“, explica Sandra.

O resultado implica a ilusão de que os olhos são maiores, o olhar fica mais intenso e está sempre pronta para enfrentar o mundo. Sandra defende que é “a modelagem correta que ajuda a corrigir alguns defeitos”, pelo que é essencial garantir que o processo é personalizado e feito tendo em conta as suas características específicas.

A especialista realça ainda o facto de todos os métodos serem válidos e de que a decisão depende daquilo que a cliente pretende. “É feita uma avaliação e, em conjunto com a cliente, é decidida e explicada a técnica que será usada”.

Manutenção e saúde da pestana

“As pestanas têm três fases: lash baby, lash e depois acabam por cair. Chega a uma fase em que ela já está comprida e, ao lado dela, já está a nascer outra”, confirma Danila. Para a técnica de pestanas, este processo pode ainda ajudar no crescimento das pestanas naturais, porque “como estamos a mexer nos pelinhos e a fazer uma pressão na base, ativa-se a circulação e, onde existe uma falha, podem voltar a nascer pelos”.

O aumento da fragilidade das pestanas, depois do procedimento, não deve, para Danila, ser visto como uma consequência imediata das extensões. “Como as extensões são coladas nos fios naturais, as pestanas vão crescendo, vão ganhando peso e vão acabar por partir. Não é porque colocou a extensão de pestanas, mas sim porque não fez manutenção”, continua.

Dado que as extensões acompanham o crescimento e o ciclo de vida das pestanas naturais, Sandra Cunha afirma que não existe necessidade de fazer pausas entre aplicações. “Desde que se respeite o tamanho e a espessura adequados a cada pestana não há o risco de danificar as pestanas naturais”. Se, mesmo assim, quiser fazer uma pausa, é recomendado que aplique um sérum fortificante durante, aproximadamente, um mês e que espere três meses para voltar a fazer a extensão.

pestanas
Extensão de pestanas Fotografia: Sandra Cunha

Os alertas

Se tem curiosidade sobre a extensão de pestanas ou se já queria experimentar este método há algum tempo, saiba que existem alguns cuidados e alguns sinais de alerta que deve ter em conta antes de se submeter ao procedimento. Antes de mais, deve garantir que a clínica estética onde vai realizar a extensão tem a certificação necessária para realizar o procedimento. Sandra e Danila sugerem ainda que peça fotografias de trabalhos prévios, de modo a perceber a qualidade da aplicação.

Ao falarmos de um método que implica utilizar cola na zona ocular, a especialista alerta para a necessidade de garantir que o produto usado é certificado pelo Infarmed, a entidade portuguesa que tem como missão garantir a qualidade, segurança e eficácia dos produtos relacionados com a saúde.

Além destes dois sinais de alerta, a cliente deve sempre verificar se o local onde vai ser realizada a aplicação está limpo e se os materiais foram higienizados.

Sandra adianta ainda que, se todas as regras de segurança e higiene forem asseguradas, este é um método seguro. Ainda assim, se tem algum tipo de doença ou problema na zona ocular não deve, de forma alguma, realizar a extensão de pestanas. “Pessoas com patologia de Blefarite, uma doença que afeta as pálpebras” ou que tenham alguma “alergia aos componentes da cola” não podem optar pela extensão.

Cuidados especiais, antes durante e depois do procedimento

A primeira aplicação, por ser um preenchimento total, demora aproximadamente duas horas, as manutenções demoram [cerca de] uma hora”, explica Sandra. O tempo depende da quantidade de pelos que são necessários colar e da própria fisionomia da pálpebra.

Uma vez que a máscara de pestanas passa a ser desnecessária, apenas poderia usar um “produto próprio para as extensões, mas não vai sentir essa necessidade, porque a extensão faz esse efeito. Pode usar maquilhagem, mas tem de ter o cuidado de usar desmaquilhantes sem óleos, que sejam só à base de água (água micelar ou agua de rosas), para não pôr em risco a durabilidade das extensões”.

Apesar de os preços variarem de clínica para clínica, os valores da extensão de pestanas começam nos 40€, por aplicação. Danila adverte para o facto de os produtos de qualidade serem caros, pelo que deve desconfiar de locais onde os preços praticados sejam demasiado baixos.

Dia-a-dia

No dia-a-dia, a pessoa deve garantir que tem as pestanas limpas e higienizadas, o que significa que não pode aplicar maquilhagem (como as máscaras de pestanas), mas não existem cuidados especiais.

Além disso, cuidados especiais só são precisos mesmo nas primeiras 24 horas após a aplicação, tempo em que não deve, de modo algum, molhar os olhos. Chorar está totalmente proibido e os mergulhos na piscina igualmente. Passado o primeiro dia, a extensão de pestanas não representa qualquer entrave à sua vida normal. “Pode mergulhar sem problema, mas no final do dia deve lavá-las com água natural. Só não deve chorar”, afirma Sandra em tom de brincadeira.

Lavar o rosto todos os dias convenientemente é fundamental para garantir a saúde das pestanas e também a durabilidade das extensões. “Em volta da pálpebra temos gordura e, se não lavarmos o rosto, com o acumular de resíduos na zona das pestanas, que estão ali muito juntinhas, vai sentir que as pestanas estão mais fracas. Mas é falta de cuidado. É falta de manutenção”.


Brand Story