Menu
Inicio Saúde Tudo o que precisa de saber antes de doar sangue

Tudo o que precisa de saber antes de doar sangue

Está na hora de ajudar quem mais precisa!

A dádiva de sangue é um gesto simples, rápido e que pode fazer uma grande diferença na vida de alguém. Se quer ultrapassar o medo das agulhas ou se doar sangue fazia parte das suas resoluções para o ano novo, este artigo é para si.

Para os principiantes na matéria, não é obrigatório saber a que grupo sanguíneo pertence na sua primeira doação. Existem ao todo 8 grupos sanguíneos diferentes, todos eles são necessários e todas as dádivas são bem-vindas.

A partir da primeira dádiva, o intervalo mínimo recomendado entre doações é de três meses no sexo masculino e quatro meses no sexo feminino. Deve fazer uma doação sempre que possível, pois o sangue é perecível e é importante manter estáveis as reservas nacionais.

Mesmo em tempo de pandemia, dar sangue é seguro. Por forma a assegurar o bem-estar do dador e do recetor, assim como a qualidade da dádiva, em Portugal cumpre-se integralmente o que está previsto na legislação europeia.

Tem tudo para correr bem, certo? Vamos a isso!

Posso doar sangue?

De acordo com o Serviço Nacional de Saúde, podem doar sangue “todas as pessoas com bom estado de saúde, com hábitos de vida saudáveis, peso igual ou superior a 50 kg e idade compreendida entre os 18 e os 65 anos”. Se for o seu caso, perfeito.

Mas… atenção às exceções! A dádiva de sangue não é permitida ou recomendada em vários casos, nomeadamente durante uma gravidez e em pacientes que tenham recebido transfusões após 1980. Além disso, para uma primeira dádiva, o limite de idade é 60 anos.

Contudo, importa ter em conta que existem casos em que a doação é permitida, mas poderá ter de ser adiada. Nestes casos incluem-se as pessoas que tenham recentemente mudado de parceiro sexual, que tenham realizado tratamentos dentários, feito piercings ou tatuagens, com sintomas gripais ou a tomar antibióticos, que tenham viajado recentemente, entre outros.

De qualquer forma, e em caso de dúvida, não desespere! Imediatamente antes de proceder à dádiva, ser-lhe-ão feitas as questões necessárias, assim como uma avaliação geral do seu estado de saúde, incluindo peso, altura, tensão arterial, pulso e hemoglobina.

Porque devo doar sangue?

A dádiva de sangue é um ato simples e rápido, que pode (mesmo) salvar uma vida. Além de não prejudicar o dador, só traz vantagens para quem o recebe. Se mesmo assim não está convencida, confira cinco motivos para começar a doar sangue o quanto antes:

1. A sua ajuda faz toda a diferença

Cada unidade tem 450 ml de sangue, o volume que se pode colher sem prejudicar o dador e que corresponde a cerca de 10% do volume de sangue. Pode parecer pouco, mas faz definitivamente a diferença para quem mais precisa.

2. Só precisa de 30 minutos

Uma dádiva viável e bem-sucedida deve durar aproximadamente 10-12 minutos. A este tempo acresce apenas o preenchimento do questionário e a avaliação médica. Rápido e seguro!

3. Não é necessária marcação

Para fazer uma doação de sangue, não é necessário agendamento. Basta consultar o site do Instituto Português do Sangue e conferir as datas e horários de todas as sessões de colheita realizadas a nível nacional.

4. Isenção de taxas moderadoras

Os dadores com mais de 30 doações registadas ou com duas dádivas por ano estão isentos de pagar taxas moderadoras nos serviços de emergência hospitalar, assim como na realização de exames nos serviços de saúde públicos ou privados que tenham acordo com o SNS.

5. Tem direito ao seguro do dador

Os dadores de sangue têm direito a um seguro que cobre quaisquer danos resultantes da dádiva ou no trajeto de ida e volta do local de colheita.

O que devo fazer antes e depois da dádiva?

Se vai fazer a sua primeira doação, saiba que existem alguns cuidados a ter, antes e depois da dádiva, que podem ajudá-la a sentir-se ainda melhor.

Pois bem, no dia anterior à dádiva, assim como no próprio dia, é aconselhado hidratar-se bem com água ou chá, além dever evitar grandes períodos de exposição solar. Caso dê sangue durante o período da manhã, tome um pequeno-almoço equilibrado. Se doar no período da tarde, aguarde pelo menos três horas por forma a completar a digestão.

Agora, em relação ao pós-dádiva, este pode variar de pessoa para pessoa. Contudo, existem alguns truques que podem evitar com que se sinta enfraquecido, de acordo com o Serviço Nacional de Saúde.

Depois da doação, é essencial manter a hidratação e evitar longos períodos de exposição solar, assim como exercício físico intenso. Além disso, é importante fazer uma refeição ligeira após a dádiva.

Brand Story