Menu
Inicio Treinos em Casa Tire o máximo partido da corda de saltar

Tire o máximo partido da corda de saltar

Tire o máximo partido da corda de saltar

Muitos são os benefícios que se associam a este simples equipamento. Além do baixo custo e da fácil portabilidade, é versátil a vários tipos de treino. Com uma corda pode perder até 300 calorias em 15 minutos, garantir uma maior intensidade do que num treino de corrida e melhorar a coordenação motora ao mesmo tempo que fortalece a densidade óssea. Como diz Paulo Esteves, treinador no 1Fight, em Lisboa, “é uma boa opção para resistência cardiovascular”. Encontre a sua corda, ajuste-a ao seu tamanho, agarre uma pega em cada mão e… salte!

Há cordas e cordas

A cada treino, um aparelho mais indicado. E com as cordas não é diferente. A corda mais comum é aquela que mais se vende no mercado. Tem pegas de plástico, assim como a corda. Por ser mais lenta, devido à grossura, é indicada para treinos de força e definição muscular. Já a corda de velocidade, conta com um destorcedor que une a pega ao plástico muito fino que permite mais rotações por minuto. É, por isso, ideal para treinar resistência. Por último, as cordas mais pesadas do que a standard, implicam maior esforço para fazer a rotação e manter a postura. É indicada para trabalho de força, sendo usada em treinos de desportos de combate.

Suar de formas distintas

Porque o treino exige coordenação motora, é normal que sinta alguma dificuldade inicial em dominar a corda. Comece lentamente, reproduzindo o movimento antes de pegar efetivamente na corda. Não a subestime, se tem excesso de peso e pouca massa muscular, é normal que os saltos induzam stress nas articulações das pernas, tal como numa corrida longa. Agora que está alertada, procure um espaço com 4 m2 desimpedidos. Esta é a área de que precisa para um treino variado só de corda. Muitos são os estilos com que pode saltar.

Paulo Esteves foca-se nos mais simples e eficazes, “que poderão ser aproveitados para aumentar a performance de outras atividades desportivas”. Na prática, a base é sempre a mesma. Já a forma como o faz…

Single ou double under: Um salto por cada passagem de corda é o mais básico. Assim que o dominar, deve tentar que a cada salto a corda passe duas vezes por baixo dos pés.

Salto com pés alternados: A cada passagem da corda, saltar a um só pé simulando uma corrida. A intensidade irá variar conforme eleve mais ou menos o joelho contrário ao que pousa para saltar.

Salto com pontapé frontal: A cada passagem da corda, um dos pés chuta para a frente. Como alternativa, faça o rear kick foot em que a cada salto dobra uma das pernas para trás.

Um ‘simples’ treino de cardio: Ligue o cronómetro e salte com a corda standard o máximo que conseguir por 3 minutos. Descanse um minuto e repita mais 5 vezes. Para se desafiar, a cada três minutos escolha um estilo de salto diferente.

Vai um desafio?

Com inspiração nos treinos de crossfit, complete 8 rondas de 20 segundos a saltar o máximo que conseguir, seguidos de dez minutos de descanso. Quantas repetições conseguiu no total? Registe o seu treino e partilhe connosco nas redes sociais com #EuSouWH.


Leia também:

O que diz de um treino de 60 segundos?

Brand Story