Menu
Inicio Beleza Não tirava a maquilhagem antes de se deitar, até ficar quase cega

Não tirava a maquilhagem antes de se deitar, até ficar quase cega

Umas com maior frequência do que outras, mas qualquer mulher já se deitou sem retirar a maquilhagem. Theresa Lynch fazia-o, mas um acidente fê-la passar a ter o dobro do cuidado.

Não tirava a maquilhagem antes de se deitar, até ficar quase cega

Que atire a primeira pedra quem nunca se deitou com a maquilhagem que usou durante todo o dia.

Como provavelmente sabe, este é um hábito altamente prejudicial para a pele. É durante a noite que a mesma se repara, num processo que é natural mas fica comprometido por todos os produtos com que entope os poros.

O correto seria nunca mais deitar-se com a maquilhagem, mas sim removê-la por completo com um desmaquilhante que não seja agressivo e vá ao encontro das necessidades de cada uma.

Além disso, não é de todo um exagero aplicar todas as noites um creme hidratante no rosto depois do banho.

Quando tem a pele demasiado seca, por culpa das muitas viagens que faz e constante uso de maquilhagem, Sara Sampaio acrescenta pontualmente umas gotas de sérum ao seu creme hidratante, antes de o aplicar no rosto.

A modelo é certamente um bom exemplo de que estes cuidados não se devem ficar pela teoria.

Outro caso que vai também influenciar a que não volte a deitar-se maquilhada é o de Theresa Lynch. Tem 50 anos e como muitas outras mulheres passou metade da sua vida a dormir quase sempre com a maquilhagem do dia, nomeadamente a máscara de pestanas.

A sua rotina de beleza ganhou mereceu uma drástica atenção quando Theresa se viu em risco de perder a visão. Embora tenha escapado ao pior, ficou com marcas para o resto da vida.

Um caso raro que chama a atenção

Por vários dias, a vítima sentia desconforto nos olhos, que estavam inchados e irritados. No oftalmologista, diagnosticaram-lhe o que não estava à espera. As partículas de máscara de pestana foram-se acumulando no interior das pálpebras até se acumularem e criarem caroços.

O desconforto era continuamente crescente e piorava cada vez que Theresa piscava os olhos; este simples gesto era o suficiente para que os caroços roçassem no olho. A oftalmologista responsável pelo caso contou que, caso alguns daqueles arranhões infetassem, poderia resultar na perda definitiva de visão.

O caso não chegou a tanto. Em cirurgia, foi possível retirar-se todos os caroços acumulados por vários anos. Como lembrança, ficam ‘apenas’ as cicatrizes nos olhos e o alerta para que não volte a descurar da necessidade de tirar a maquilhagem ao final de cada dia.


Leia também:

https://www.womenshealth.pt/beleza/anti-olheiras-vao-salvar-depois-festa/

Artigo via Women’s Health Brasil.

Brand Story