Menu
Inicio Living Cláudia Vieira: “No meio da televisão, as novas roubam os lugares às...

Cláudia Vieira: “No meio da televisão, as novas roubam os lugares às mais velhas”

Cláudia Vieira foi capa da edição que marcou o regresso da Women’s Health às bancas portuguesas.

Muitas mulheres poderão estar a questionar-se sobre o porquê de voltarmos a ter Cláudia Vieira na capa da Women’s Health. A resposta é tão simples, quanto óbvia. Ela representa tudo o que esta revista quer transmitir às suas leitoras: uma mulher bonita, inteligente, bem-sucedida, saudável e inspiradora.

Mais do que ter um corpo fantástico – acreditem que a Cláudia está em melhor forma do que quando fotografámos há quatro anos -, ela é daquelas mulheres que se costumam definir como ‘bonitas por dentro e por fora’. Ela personifica diariamente aquilo que designamos de Mulher Women’s Health.

Num flashback à sessão da primeira capa com a atriz em 2014, lembro-me perfeitamente que a fotografámos no dia em que se anunciou a separação (com o ator Pedro Teixeira). Quando eu pensava que seria um dia complicado, Cláudia tornou tudo fácil com uma entrega ao trabalho incrível, perante tal situação. Obviamente que, quatro anos volvidos, a nossa conversa começou por aí e pelo seu novo caminho desde então.

“Sinto que cresci imenso nestes últimos quatro anos. Tinha acabado de me separar e essa ida a uma zona menos boa, deu-me ferramentas para trabalhar”, relembra.

“Nos momentos de tristeza, de incapacidade e frustração, nós vamos a zonas emocionais que desconhecemos e isso acrescenta-nos. Esse acontecimento obrigou-me a encarar a vida de outra forma, com outra força e com um bocado menos de leveza”

 

A maternidade

Obviamente que hoje é tudo mais fácil, mas eu tenho a certeza que foi o facto de a atriz portuguesa ser uma mulher decidida e muito otimista que a fez superar essa adversidade de uma forma muito natural. A filha Maria, de oito anos, tem sido a sua companheira de vida. “Temos uma relação muito especial, de dependência, de melhor amiga… Não sei se seria diferente se tivesse a viver com o pai, só sei que estou muito feliz”.

Nesta sociedade vertiginosa e competitiva, a verdade é que todos temos de procurar o melhor equilíbrio entre vida pessoal e profissional. Cada pessoa estabelece as suas prioridades, mas é difícil não sentirmos alguma culpa por, algumas vezes, não conseguimos estar o tempo devido com os nossos filhos. Cláudia diz-me que não nota isso. Não sente remorsos ou peso na consciência porque, de facto, a filha partilha imenso da sua vida profissional.

“Eu sei que abdico de muita coisa por ela, mas só assim é que me faz sentido. Os filhos têm mesmo de ser a nossa prioridade. Somos nós, pais, que temos de aprender a gerir o tempo nesse sentido. E eu acho que tenho encontrado um bom compromisso entre o tempo que tenho de trabalho e o tempo que tenho para estarmos juntas”.

Pela forma como o mundo está atualmente, perdemo-nos com facilidade. As pessoas estão muito desligadas umas das outras, passam pouco tempo a falar cara a cara. Cláudia Vieira encontra o seu ponto de equilíbrio nas pessoas que a rodeiam, que são “aquelas pessoas que sabem como eu sou e não me julgam”.

E quando a vida está mais agitada, é numa praia a ver o pôr do sol que a atriz acerta os seus níveis de equilíbrio. “Cada uma de nós tem de encontrar a sua forma de recarregar as suas energias. Devemos ter um autoconhecimento de quem somos e o que é que precisamos para estar bem, e depois trabalhar isso. Não basta pensar que queremos fazer, temos de fazer. É sermos ativistas nas diversas frentes da nossa vida”, aconselha.

 

Mais fit do que nunca aos 40

Incrível, incrível é ver que Cláudia Vieira a dois meses de fazer quarenta anos está numa forma física invejável. Já a esperava bem, mas nunca assim. É que só passaram três semanas entre o dia que lhe liguei para fazer esta capa e o dia da sessão fotográfica! Ajudou-a a genética, sem dúvida, mas também o facto de ter o desporto como estilo de vida desde sempre.

“Quando soube que íamos fotografar obriguei-me a mudar algumas coisas. Fui fazer massagens, que é uma das coisas que pouco falo, mas que recomendo a qualquer mulher que, tal como eu, tenha má circulação, retenção de líquidos, tendência a ter celulite…”, explica. Fui obrigado a interromper: “Mas tu tens celulite, Cláudia?” – perguntei com um sorriso bem grande, como quem diz que dessa não esperava.

“As pessoas pensam que eu não tenho. Não, eu faço por não ter, essa é que é a verdade, porque a minha tendência é ter. Não tenho tendência a engordar, pois geneticamente tenho um corpo atlético, mas tenho má circulação, retenção de líquidos e essas coisas”, afirma com a maior das naturalidades e aponta soluções de imediato: “Exercício, beber muita água, fazer massagens manuais e há um segredo que posso partilhar que é a Vela Smooth, que dá imensos resultados. Portanto, nestas duas últimas semanas foquei-me nas mensagens e treinei praticamente todos os dias para me sentir confortável para as fotografias”. O meio profissional da televisão está inerentemente associado à imagem e ao corpo.

 

Da geração Morangos com Açúcar a protagonista

Para além das competências profissionais que terão forçosamente de marcar a diferença, a verdade é que há muitos papéis, destaques e oportunidades em que se olha muito ao corpo e estilo da pessoa.

Ultimamente tem-se falado imenso de uma nova geração de atrizes envoltas numa comparação com a dita primeira geração Morangos com Açúcar. Diz-se que são as novas Cláudia Vieira e Rita Pereira… “É inevitável”, afirma convictamente Cláudia.

“No meio da televisão, as novas roubam os lugares às mais velhas. As mais novas conseguem fazer muitos mais papéis, mas eu acho que isso depende da forma como gerimos a carreira. Mas eu não me sinto empurrada, de todo. Vejo muita gente a aparecer e a ganhar espaço, mas não é para tirar o meu espaço. Acho que cada uma tem as suas características e não vejo que tenha perdido o que quer que seja por estarem a aparecer novas atrizes. Aliás, geneticamente, sempre pareci mais nova – fiz os Morangos do Açúcar com 26 anos e representava um papel de 17 anos”.

 

Estilo de vida saudável

A relação entre um corpo bonito e saudável tem uma enorme ligação aos hábitos alimentares. Acredito que, perante a irregularidade de gravações de novelas e programas de televisão, seja um quebra-cabeças e envolva uma grande logística manter uma alimentação equilibrada.

A atriz confirmou-o e disse-me de imediato que não consegue levar marmitas para o trabalho, mas que isso não a impede de fazer as melhores escolhas à mesa, mesmo que tenha de comer diariamente no catering das gravações. Confessa ter uma gestão equilibrada no que diz respeito à alimentação e que os seus pratos são maioritariamente preenchidos com legumes e vegetais. “Como sopa, muita sopa”, disse a atriz. O que mais gostei de ver foi que Cláudia não tem obsessões com a comida. Tem cuidado, mas não tem regras limitativas. Prova disso foi um fantástico cozido á portuguesa que comemos logo após esta sessão de capa.

A Mulher Women’s Health corre atrás dos seus objetivos e que quer sentir sempre bem com ela própria. Tem consciência plena do que é, o que faz, o que ambiciona e até que ponto é que permite que os comportamentos dos outros a influenciem…

 

Entrevista originalmente publicada na edição de primavera de 2018 da Women’s Health.

 

Leia também

https://www.womenshealth.pt/revista/claudia-vieira-capa-womens-health/

Brand Story