Menu
Inicio Saúde Tanorexia: Quando o bronzeado se torna um vício

Tanorexia: Quando o bronzeado se torna um vício

Tanorexia: Quando se chega ao vício em bronzeado

Vários são os possíveis riscos associados ao sol e consequentemente ao bronze, principalmente quando se fala de solários.

E se uma ida a estes gabinetes de estética é má, o problema pode piorar, quando é impossível parar. Tal como qualquer comportamento que acontece em excesso e é prejudicial para a saúde, também a frequência excessiva do solário pode tornar-se uma adição.

“Fala-se cada vez mais de tanorexia, em analogia à anorexia. São indivíduos dependentes da exposição solar e geralmente frequentadores assíduos de solários que se sentem bem apenas com a pele morena (tanned em inglês)”, explica a dra. Ana Filipa Duarte, dermatologista da Associação Portuguesa do Cancro Cutâneo e do Centro de Dermatologia Epidermis, do Instituto CUF, no Porto.

A psicóloga Inês Custódio, da Oficina da Psicologia, em Lisboa, traça o perfil: “Podemos encontrar o vício pela utilização de solário quando uma pessoa perde o controlo sobre o número de sessões que faz, pensa frequentemente sobre isso e não consegue resistir ao impulso de ficar um pouco mais bronzeada.

Constante ansiedade

Além disso, aponta-se um mal-estar significativo quando se vê ‘mais branca’. Por contrário, um bem-estar geral após regressar à tonalidade de pele desejada. Quando a frequência do solário começa a ter impacto negativo na vida geral da pessoa. Tudo isto traz uma doença física, gastos exagerados de dinheiro na prática ou afastamento social”. E tal como qualquer adição, é preciso reconhecer que ela existe para se começar o tratamento.

Contra isto, mais do que conhecer os riscos associados a esta prática, importa conhecer o que é uma dependência e perceber como se mantém. Depois, é preciso encontrar outras formas de lidar e regular as emoções negativas existentes, sem recorrer ao solário. Além disso, há que melhorar a relação que a pessoa tem com a sua imagem e autoestima”, aconselha a psicóloga.

Após identificar o problema, o acompanhamento psicológico torna-se, assim, essencial.

 

Veja o que aconteceu a esta mulher após procurar durante anos o bronze ideal

 

 


Leia também:

A exposição solar pode ajudá-la a ter esta vitamina essencial

Brand Story