Menu
Inicio Treino Como saber se o treino ‘valeu a pena’?

Como saber se o treino ‘valeu a pena’?

Chegar ao balneário com a T-shirt completamente molhada do seu suor pode ser um bom indicativo de que deu tudo no treino. Mas este não é o único critério para o avaliar.

Como saber se o treino ‘valeu a pena’?

O ‘segredo’ de um treino bem feito não é o de dar o que não tem e o que não tem até ‘cair para o lado’. Pelo contrário, este pode ser um método que acabe em lesões, pois em vez de se focar na postura correta e no exercício em questão, só pensa que tem de fazer os músculos sentir todo o esforço daquele treino. Falso, falso, falso. Um bom treino resume-se sim em dar o melhor de si, mas de forma consciente. De que lhe valem 200 abdominais se nem um foi feito da forma mais correta para o seu próprio corpo?

A linha é ténue, mas há de facto um equilíbrio a encontrar entre o estímulo às hormonas do stress – cortisol – e o não abusar do esforço em cada treino. O erro é, no entanto, comum. E para o esclarecer, a Women’s Health esclarece as questões mais comuns sobre o tema.

Que ‘dose’ de exercício físico é suficiente?

A resposta é tão óbvia quanto se esperava: depende de cada caso. E ninguém melhor do que o personal trainer que o avaliou para indicar o número de vezes por semana e o tempo de cada treino mais indicado ao seu caso.

Ainda assim, se quiser um número a apontar o caso mais generalizado, a Organização Mundial de Saúde aponta os mínimos. 150 minutos de treino moderado por semana ou 75 minutos, no caso de treino intenso.

O suor pode ser um indicador de bom treino?

Não, este não é o indicador que melhor represente a qualidade do treino. O suor é um processo natural de refrigeração do corpo humano. E funciona diariamente quer se treine ou não – ainda que em diferentes quantidades, é certo. Mas independentemente da situação, cada indivíduo tem uma diferente predisposição genética para suar. Não dê tanta atenção ao suor produzido, até porque os ambientes em ginásio são controlados para que a temperatura seja mais agradável – ou seja, mais fresca.

E a dor muscular, é um bom indicativo?

A dor muscular que sente após o exercício físico – por vezes um dia depois – é reflexo de uma falta de prática de treino que se traduz naquela dor ‘atrasada’. À medida que a prática de exercício físico se torna mais regular, as dores serão cada vez menores, o que não significa que se esteja a esforçar menos. Dito isto, não, a dor que sente nos músculos não indica se o treino foi ou não eficaz.

Então, como saber se um treino foi eficaz e digno, de facto, de todo o nosso esforço?

Se precisa de uma breve pausa durante o treino é sinal de que está realmente a esforçar-se, seja na passadeira ou numa aula de grupo. Mas atenção, não abuse desta pausa que deve ser breve. Opte por assumir que vai usufruir de um pequeno descanso a meio do treino. Por exemplo, se quer correr por 40 minutos, corra 20, pare por uns momentos, e complete o treino com mais 20. Assim até se sentirá mais motivada a terminar o exercício já que reparti-lo em dois pode fazer com que o treino pareça mais facilmente alcançável.

Outra forma de saber quanto lhe valeu o treino é através da contagem de calorias. São vários os aparelhos que ajudam a contá-las seja aplicações do smarthpone ou relógios inteligentes. Na maioria das vezes, o valor apresentado é apenas uma estimativa, mas serve para comparar com o treino anterior.

Por último, ouça o corpo

No momento imediatamente a seguir ao treino deve sentir-se exausta. Mas logo após uns breves momentos de recuperação, deve sentir uma onda de energia da qual o treino é culpado (Olá endorfinas!).

Vai prestar mais atenção ao seu corpo da próxima vez que treinar? A ideia é que cada treino seja uma celebração daquilo que é capaz de fazer, não um castigo pelo que comeu nem pelas vezes que não treinou, por isso não se massacre e tenha prazer de cada vez que vestir o fato de treino.

Antes disso, falta-lhe apenas refutar certos comuns mitos em que talvez ainda acredite. Percorra as imagens da galeria e saiba de que falamos.


Leia também:

Esqueça o HIIT. Esta é a nova forma de treinar

Artigo via Women’s Health

Outros Artigos


Outros Conteúdos GMG

Brand Story