Afinal, no amor não são os opostos que se atraem, diz estudo

opostos, casal, romance

A sabedoria popular diz com toda a sua certeza que os opostos atraem-se. Mas a ciência não concorda.

De acordo com um estudo publicado na Psychological Science, seja para uma amizade ou para uma relação amorosa, as pessoas tendem a procurar parceiros que sejam idênticos a si.

O estudo

Baseado no comportamento online de cada um dos participantes, os cientistas conseguiram notar que o gosto pelas mesmas páginas e a forma de escrever idêntica eram fatores que faziam com as pessoas se sentissem atraídas umas pelas outras.

E quanto maior fosse o nível de igualdade, maior era a probabilidade de serem amigos… ou até mesmo parceiros românticos.

Mas não só. Se as semelhanças são o ponto de partida para uma relação, à medida que o tempo vai passando podem mesmo ser o segredo para a longevidade. E isto porque os gostos e formas de estar ficam ainda mais idênticos com o passar do tempo.

De acordo com o estudo, os resultados obtidos permitiram – pela primeira vez – detetar que as semelhanças de personalidade podem ser fundamentais para a união entre duas pessoas.

Ads

ARTIGOS RELACIONADOS


OUTROS CONTEÚDOS GMG


Send this to friend