Menu
Inicio Nutrição O que comer antes de treinar? E depois? Nutricionista dá-lhe as respostas

O que comer antes de treinar? E depois? Nutricionista dá-lhe as respostas

O que comemos no pré e pós-treino é mais determinante para a performance e saúde do que pensamos. E a nutricionista Andreia Santos explica tudo.

É impossível falar em exercício físico sem falar em alimentação. Estes dois fatores de um estilo de vida saudável andam de mão dada. E aliam-se na procura por mais saúde, mais energia e mais músculos.

“A alimentação é responsável por possibilitar todas as reações orgânicas do nosso corpo. É o que faz com que seja possível termos energia, crescermos, desenvolvermos e nos mantermos saudáveis”. Assim começa por explicar à Women’s Health a nutricionista Andreia Santos.

Quando aliada à prática desportiva, a nutrição – que deve ser o mais personalizada possível – “pode auxiliar um programa de exercícios com finalidade específica. Quer seja para melhoria da saúde, perda de peso ou aumento de massa muscular”.

Deste modo, continua, a alimentação apresenta “um papel determinante na otimização da composição corporal, obtenção do máximo rendimento, retardação dos efeitos da fadiga muscular, diminuição do risco de lesão e recuperação após o exercício”.

No caso das atletas femininas, “pode ainda ajudar na reformulação dos hábitos alimentares e na manutenção de um adequado estado nutricional. É, então, responsável por grande parte do resultado conquistado com o exercício físico”.

Além do pré e pós-treino. O poder da alimentação

De uma forma geral, esclarece Andreia Santos, “os nutrientes que compõem a alimentação dividem-se em proteínas, hidratos de carbono, lípidos (gorduras). Além das vitaminas, minerais, fibras alimentares e água. Mas na prática desportiva alguns apresentam um papel fundamental”.

As proteínas “são essenciais, pois apresentam uma função construtora das estruturas do nosso corpo, mais concretamente, os músculos. Ajudam na recuperação das microlesões musculares induzidas pelo treino e minimizam o catabolismo muscular”.

Já as gorduras são uma “importante ajuda para o estado de saúde da atleta. Ajudam a transportar as vitaminas lipossolúveis (A, D, E e K) e auxiliar na síntese de algumas hormonas”.

Os tão (incorretamente) rejeitados hidratos de carbono “são dos principais combustíveis energéticos utilizados durante o exercício. A maior parte dos praticantes de atividades físicas não competitivas, principalmente quem procuram o exercício físico como aliado da perda de peso veem os hidratos como os inimigos. Mas na verdade, os hidratos de carbono são fundamentais mesmo que precise de emagrecer. Devem é saber quais os mais indicados, qual a quantidade certa para cada pessoa e, qual o momento, para serem ingeridos”.

No que diz respeito às vitaminas e os minerais, as “mais relevantes para as atletas são o cálcio e a vitamina D, as do complexo B, ferro, zinco e magnésio, assim como alguns antioxidantes. Não esquecendo o papel essencial da hidratação”.

Mas se é, então, certo e sabido que “uma alimentação equilibrada e adaptada aos momentos de treino ajudará a garantir o resultado desejado”, falta saber o que comer antes e depois do treino. E a nutricionista explica tudo.

Clique nas imagens acima e conheça o guia que deverá servir de base para a sua alimentação. Mas não se esqueça, procure sempre um profissional para assegurar que o plano alimentar é o mais adequado a si.

Brand Story