Menu
Inicio Covid-19 O perigo de usar álcool gel para desinfetar o seu animal

O perigo de usar álcool gel para desinfetar o seu animal

Há formas mais seguras de limpar o seu animal, e que não devem ser postas em prática apenas durante a pandemia do novo coronavírus. Especialista esclarece.

O perigo de usar álcool gel para desinfetar o seu animal

Durante a pandemia do novo coronavírus, lavar as mãos com grande frequência e manter todo o espaço limpo e desinfetado é a medida mais seguida. Mas então e os animais? É comum a questão sobre se devemos ou não desinfetar as patas dos cães e gatos com quem partilhamos a casa.

Importa no entanto esclarecer que esta não é, de todo, uma medida que deve seguir. Em França, alguns veterinários alertaram os donos de cães e gatos sobre o perigo de usar gel desinfetante nos animais de estimação. A confirmar o perigo de tal atitude, veterinários franceses partilharam imagens de patas destes animais queimadas por culpa de tais produtos.

O médico veterinário Pedro Rodolfo Assunção, que dá consultas ao domicílio na região centro, falou com a Women’s Health sobre este assunto e reconhece o alerta feito pelos colegas franceses.

“O tipo de álcool gel em questão dependerá sempre da concentração de álcool. Mas se for uma grande concentração de álcool, se estivermos a falar de mais de 90%, é normal que possa causar alguma desidratação da pele das patas do animal. Além disso, pode causar alguma irritação”.

Embora o foco da questão seja o álcool gel, o especialista acrescenta que “em termos de alergias, o álcool gel ou o sabão ou outro desinfetante ou produto de limpeza pode ter consequências para qualquer animal, dependendo da raça ou outros aspetos inerentes ao animal.

O que fazer?

“O mais aconselhável, que gera menos reações alérgicas e tentando colmatar esse problema, será alcoolizar com sabão normal e limpar as patas do animal. Em alternativa, pode aplicar o álcool gel numa toalha e depois aplicar na pele do animal”, aponta Rodolfo de Assunção, que refere que, “desta forma, o produto acaba por atuar parcialmente na pele”.

Ainda assim, o médico veterinário reconhece que “o mais correto será utilizar sabão normal, sabão azul, por exemplo. Tem muito menos probabilidade de causar alergias ao animal e, claro, não é nenhuma substância que faça com que haja desidratação da pele do animal. Até devemos, mesmo sem este tempo de pandemia do novo coronavírus, limpar o animal de forma regular com sabão azul”. Assim se combate outros microrganismos e sujidade que podemos trazer para nossa casa, acrescenta.

De notar que não há provas científicas de que os animais transmitam o vírus da Covid-19. Ainda assim, há que aplicar certos princípios básicos por precaução.

Outros Artigos


Outros Conteúdos GMG

Brand Story