Menu
Inicio Saúde Motivos para não usar o protetor solar do ano passado

Motivos para não usar o protetor solar do ano passado

Se não quer começar a época de praia com um escaldão, invista num novo protetor para o verão de 2022, pelo bem da sua pele e saúde no geral.

protetor solar

A menos que pertença ao pequeno grupo de pessoas que aplica diariamente protetor solar no rosto, durante todo o ano, provavelmente só pensa nesta prática agora, que o verão chegou. Certo?

Tenha atenção: se vai à gaveta do ano passado, garanta que confirma a data de validade. Há protetores solares que duram até três anos, segundo a Clínica Mayo, mas outros duram apenas seis meses! Findo o período indicado, os ingredientes ativos deterioram-se e tornam-se ineficazes.

Caso o seu protetor solar não indique uma data de validade, anote a data em que o comprou na própria embalagem. Além disso, lembre-se de o guardar num local fresco, pois se o deixar exposto ao calor, o SPF será menos eficiente.

Por fim, não acredite em nenhuma promessa que lhe garanta que o produto é eficaz com apenas uma aplicação diária. Sim, os melhores cremes para o sol, quando aplicados uma vez por dia, oferecem uma proteção mais prolongada. Mas, em qualquer caso, há que reaplicar sempre que suar, tomar banho ou nadar para obter o máximo de benefícios.

Resta-nos esclarecer que não é por o seu protetor solar vir embalado numa garrafa extravagante que vai trazer mais benefícios. Há cada vez mais cremes solares à venda em supermercados com classificação UV de cinco estrelas. Provavelmente, ao usar uma destas marcas, terá de aplicar creme com mais frequência, logo, não lhe sairá assim tão mais barato.

Brand Story