Menu
Inicio Nutrição Se vai comer atum em lata, faça assim

Se vai comer atum em lata, faça assim

atum em lata

Sejamos honestas: O atum em lata é uma das melhores invenções de sempre.

Seja para um pós-treino, um almoço mais apressado, um snack proteico ou um jantar saudável, este enlatado acaba por se assumir como protagonista de muitas refeições feitas ao longo da semana.

Mas, e se lhe dissermos que esta é a pior forma de comer atum?

Pois bem, a conclusão é de um estudo da Universidade de Binghamton, nos Estados Unidos, e que vem agora revelar o potencial risco associado ao consumo regular de atum em lata.

 

Atum em lata? Sim, mas com moderação

Segundo a investigação publicada na revista Food & Function, o atum em lata contém 100 vezes mais zinco do que a quantidade que é aconselhada como segura.

Além disso, este mineral fica alojado no sistema digestivo, algo que, devido ao excesso, pode causar sérios riscos para a saúde.

De acordo com o estudo, níveis elevados de nanopartículas de óxido de zinco podem comprometer a capacidade dos intestinos absorverem nutrientes ou e a capacidade de expressão de proteínas no organismo.

Mas o risco está apenas neste enlatado em concreto? Não. Os alimentos enlatados, por norma, apresentam todos este mineral, contudo, é no atum que os níveis se apresentam como preocupantes, revela a investigação norte-americana. Para o estudo foram analisados também enlatados de frango, espargos e milho.

Uma vez que se trata de um estudo preliminar, ainda não é possível saber qual o real impacto desta descoberta na saúde a longo prazo ou até se existe, de facto, um risco para a saúde. Os cientistas estão agora a analisar o efeito em animais de laboratório.

Brand Story