Menu
Inicio Nutrição Afinal, o óleo de palma é saudável ou um verdadeiro veneno?

Afinal, o óleo de palma é saudável ou um verdadeiro veneno?

Escolher os produtos mais puros e saudáveis nem sempre é fácil. No caso das gorduras vegetais, o óleo de palma é uma das opções. Mas devemos consumi-lo?

A busca pelas gorduras vegetais mais saudáveis parece não ser tarefa fácil. Óleo de coco, azeite, óleo de palma? As opções são diversas, mas o problema está em saber se determinado alimento, rotulado como saudável, realmente o é.

O óleo de palma é uma boa opção vegetal?

Quando extraído a frio, o óleo de palma é uma gordura saudável e de boa qualidade (rica em vitamina A e E e antioxidantes). Porém, Sofia Pinto, nutricionista no Holmes Place da Constituição (Porto) e na Santa Casa da Misericórdia de Penafiel adverse para o facto de que a versão refinada, que encontramos nos alimentos processados e nos produtos de cosmética e limpeza, resultar do processo de fervura que faz com que muitos dos benefícios do óleo se percam e este ganhe toxicidade.

Para saber se um alimento é de evitar ou não, é necessário ler os rótulos dos alimentos processados, pois poderá encontrar este óleo camuflado em nomes como óleo de palmiste, gordura vegetal fracionada e hidrogenada de palmiste, estearina de palma, palmoleína ou oleína de palma, manteiga de palma ou até Elaeis guineensis.

Os alimentos que contêm óleo de palma são, regra geral, alimentos processados e de má qualidade nutricional, devendo por isso ser evitados. Mas tal como acontece com qualquer óleo gordura – seja de girassol, coco, soja, amêndoa ou até mesmo o azeite – o seu consumo é grave para a saúde quando excessivo.

O segredo é não cair no extremismo e apostar ao máximo na moderação e no consumo consciente de alimentos processados.

+WH: Saiba que tipo de gordura está presente nos alimentos, na galeria!

 

Brand Story