Menu
Inicio Living O que ainda não sabe sobre Angie Costa

O que ainda não sabe sobre Angie Costa

Angie Costa é sem dúvida uma grande influência dos tempos modernos. Recorde a entrevista exclusiva à mulher WH mais nova a surgir na nossa capa.

Angie Costa

De olhos postos no futuro, a youtuber é a prova de que o poder da influência não é consequência da idade. E desengane-se quem achar que o resultado do seu trabalho é fama passageira. Com as suas próprias regras sobre o que partilha e o estilo de vida que leva, Angie Costa é a prova de que, quando se mudam os tempos, mudam-se as influências.

Angie Costa

Angie Costa, a youtuber feminina mais influente de Portugal. Assim o diz a Forbes, que listou em março deste ano os youtubers mais pre-dominantes do país. Nesta lista, a jovem natural de Coimbra ocupa o top 3, com um nível de influência de 22,7.

O que torna os seus vídeos merecedores de tamanho destaque? Como define esta sua profissão? Com que estratégia define aquilo que partilha? E que estilo de vida leva esta jovem de futuro promissor? Direta e de palavras certeiras, Angie não nega que aquilo que conquistou é, em parte, fruto da sua personalidade divertida e relaxada.

Além disso, as câmaras adoram-na (não é opinião pessoal) o que ajuda a que toda a sua imagem se torne mais do que cativante, numa era em que o online se sobrepõe a outros meios. Mas a influencer não se fica pelo YouTube, principal ferramenta da sua profissão. Em vez disso, trabalha para chegar mais longe sem esconder que tem, de certa forma, um plano B. Foco comum a qualquer caminho em que se desafie?

“Ser o mais honesta possível”

Percorremos as mais de 400 publicações no seu perfil de Instagram até chegar à primeira. Uma foto bem informal, tirada em Luanda, datada de 6 de abril de 2017 e com quase 11 mil gostos. O estilo altera-se mas pouco, mostrando uma imagem que é coerente a si mesma, ao seu gosto pessoal, que está mais do que definido desde que entrou no mundo digital. Quanto ao feed, revela uma coerência a nível de conteúdo e edição que nos levam a acreditar que Angie Costa pensou em tudo deste o início do projeto. O seu projeto.

E já lá vão, até à data, 677 mil seguidores no Instagram e mais de 400 mil subscritores no YouTube, números que não param de subir sem nenhum motivo específico aparente. É só o normal fenómeno da influência digital de que a nossa entrevistada goza.

Estreia direta em videoclipes

O percurso de Angie Costa começou em 2016, com a participação no videoclipe Não Me Deixes Ir, do cantor Paulo Sousa. “Durante as gravações, o meu à-vontade com as câmaras não passou despercebido e o Paulo lançou-me a ideia de ser youtuber”, lembra. “Vou ser sincera. Eu não seguia a plataforma e não fazia ideia do poder que estava a ter. Mas arrisquei, com a ajuda do Paulo, e foi das melhores decisões de sempre”.

A este videoclipe seguiram-se mais participações nos vídeos de Paulo Sousa, com quem celebra uma amizade de presença pontual nos vídeos do canal da própria Angie. Seguiu-se mais uma participação no meio da música, desta vez para o videoclipe de És Só
Tu, de David Carreira.

Paralelamente, o seu próprio canal de YouTube, hoje plataforma principal que sustenta a sua profissão, ganhava forma, dimensão e notoriedade – pilares que permitem que a
influencer olhe para o seu trabalho como algo “tão estável como qualquer outra profissão”.
O espaço homónimo é apresentado como ‘um canal de moda, beleza, lifestyle e muito mais’. Desde que foi criado até aos dias de hoje, a descrição mantém-se fiel, mas atualmente é o lifestyle que mais domina.

“Rapidamente percebi que era o que melhor se encaixava com os meus interesses e personalidade”, conclui como resposta ao feedback que recebe dos – muitos – fãs. “Acho que as pessoas que me seguem gostam da minha espontaneidade e da minha forma de comunicar divertida”, acrescenta. De facto, a forma como comunica nos seus vídeos mostra o seu lado despreocupado. Que um vídeo, seja sobre que tema for, não tem de se resumir a uma só mensagem e que há espaço para divagar um pouco, como se de uma conversa não editada se tratasse. Afinal, aquele é o seu espaço pessoal, onde a sua personalidade reina.

“Há aspetos da minha vida que prefiro que continuem privados. Acho essencial preservar alguma privacidade”

Desde o início da conversa percebemos que esta é a chave para o seu sucesso. Igualmente importante é a relação que tem com o seu público. Embora não tenha respondido à questão sobre como lida com a pressão que possa surgir por parte de um público que tem a possibilidade de a acompanhar quase sempre (culpa das redes sociais, que para o bem e para o mal estreitam laços, tornando por vezes indefinidas certas barreiras), Angie Costa admite que valoriza a relação que tem com cada fã. “É algo que nunca quero perder”, garante. Por isso, “acho justo que quem acompanha o meu canal tenha oportunidade de participar nele”.

Como? Com o vídeo em que Angie passou 24 horas a comer apenas o que os seguidores decidiam, com o desafio que lançou para que os seguidores imitassem as suas fotos ou com as pequenas revelações que deixa descobrir nos stories do Instagram, aumentando a curiosidade de quem a segue e ao mesmo tempo a aproxima dos seguidores. Em suma, “a nossa maior preocupação é dar sempre o conteúdo mais honesto possível. Porque sabemos que quem está do outro lado quer saber a realidade. É por isso que se identificam tanto connosco (youtubers)”.

Responsável para com o seu público

A honestidade de que fala não descura por momento algum a responsabilidade que sabe ter pelas ideias que partilha. “Acho importante termos a consciência de que tudo o que dizemos online tem impacto em quem está do outro lado. O meu objetivo é que esse impacto seja sempre o mais positivo possível”, afirma a youtuber, que admite receber mensagens privadas, ou em comentários, de quem lhe pede conselhos, ajuda ou opinião sobre os mais variados assuntos.

E que limites impões entre o que é pessoal e o que é partilhável? Perguntámos. A resposta foi mais uma vez certeira e sem dúvidas: “Tudo o que for do foro pessoal e que eu não queira que as pessoas tenham uma opinião simplesmente não partilho. Existem certos aspetos da minha vida que prefiro que continuem privados. Acho essencial preservar alguma dessa privacidade”, reconhece.

Fazer do online profissão? “Tenho a minha estratégia”

Aos olhos de Angie, a atividade de youtuber não é recente, visto que “há pessoas que têm uma carreira há mais de dez anos nesta plataforma”. Ainda assim, não deixa de ser
um método de comunicação diferente dos usados há não muito tempo. Lá está: mudam-se os tempos, mudam-se as influências. E as marcas sabem bem isso. Abordam os maiores influenciadores, que mais facilmente e de forma mais pessoal comunicam um produto, em comparação com uma mera publicidade televisiva. Do outro lado, o influenciador distingue-se pela originalidade e pessoalidade com que se identifica com a marca X ou o produto Y.

A evitar promover algo que não faça sentido para si ou para o seu público, Angie Costa garante ter a sua própria estratégia. “Trabalho com aquilo em que acredito. Nunca trabalhei com uma marca ou produto que não tenha experimentado primeiro”. De outra maneira não podia ser, garante Angie. “A confiança que as pessoas têm na minha palavra é a coisa mais valiosa no meu trabalho. Nunca a poria em causa”.
Sumol, Tezenis, Tampax, Garnier ou El Corte Inglès são algumas das marcas com que trabalha, assumindo a promoção de cada produto nas publicações que faz no Instagram, seja enquanto embaixadora da marca ou a promover giveaways.

Prova de que as marcas estão mais que atentas ao novo público, que parece só se deixar conquistar através dos meios online, em 2018 o festival Rock in Rio levou a palco mais de cem influencers que trocaram o conforto do seu estúdio de vídeo pelo palco de um dos festivais de verão mais concorridos do país. Adivinha quem integrava tal lista de influencers? A nossa cover girl, pois claro.

“A confiança que as pessoas têm na minha palavra é a coisa mais valiosa no meu trabalho. Nunca a poria em causa”.

Este é o retorno de um canal de YouTube que cresce a olhos vistos e ocupa a maior parte do seu dia. Se bem que, confessa-nos, “o meu dia agora é mais ‘casa, treino, casa, treino’, por causa do programa [Dança com as Estrelas]. Mas normalmente faço, em casa, conteúdo diferenciado tanto para o canal como para o Instagram”.

Um trabalho de criação e edição que é facilitado pela personalidade de Angie. É sem grande dificuldade que a passa para os seus conteúdos. “O que tento passar através do meu perfil é simplicidade e realidade. Acho que temos que passar sempre a imagem do que é real”. A par disso, e quando questionada sobre o que a inspira, não aponta nada nem ninguém em específico. “Acompanho bastantes pessoas e vou-me deixando influenciar com as que mais me identifico”. E mais: “Sigo conteúdos bastante abrangentes, tanto de lifestyle como de beleza ou desporto. É daí que retiro a maior parte das minhas ideias e inspirações”.

Influencia também no mundo do fit

Angie Costa não é uma fit influencer, mas não é por isso que deixa de revelar o seu lado mais ativo e cuidado enquanto seguidora de um estilo de vida saudável; “Estou sempre atenta àquilo que como, bebo e, muito importante, ao descanso”, diz-nos, admitindo que este foi um cuidado que cresceu há pouco tempo. “Só de há um ano para cá é que comecei a ter consciência daquilo que como. Estou a entrar nos meus 20 anos (celebra-os a 30 de abril) e acho importante cuidar de mim”.

Quanto ao exercício físico, e apesar de não ter um acompanhamento profissional, o desporto sempre esteve presente na sua vida. Não tanto porque sentia que precisava de se exercitar, mas pela “perdição em experimentar coisas novas”. Futebol, voleibol, natação ou ginástica acrobática. Estas são apenas algumas modalidades em que já se desafiou, ainda que por curta duração.

“Teria enorme prazer em aceitar um projeto na televisão já”

É com esta vontade que, a gosto, combate o sedentarismo e mantém o exercício físico presente no seu dia-a-dia. Quanto a desportos preferidos, diz-nos que sempre lhe interessou o voleibol. “Embora tenha tido uma experiência breve [nesta modalidade], sei que gostaria de voltar”. A par da prática em campo, é no palco que mora o seu mais recente prazer: a dança.

Um gosto que não é de agora, pois já dançou quando era bem mais nova, mas que atualmente tem merecido toda a sua atenção e “merece ser explorada” graças ao programa de domingo à noite da TVI, onde Angie Costa prova, outra vez, que tem tudo o que é preciso para que as câmaras a adorem.

Além disso, não esconde que o jeito que mostra reflete a dançarina interior que descobre de dia para dia. “Sinto que se me aplicasse mais nisso me sairia bem”. Com uma reciprocidade bastante positiva desde a primeira atuação, conta-nos que está a ser “uma experiência incrível”. É algo que lhe faz ter ainda mais vontade de investir na dança, mesmo após o programa terminar.

Quanto ao feedback, tanto dos fãs quanto de nomes conhecidos, são o principal responsável por tornar esta numa experiência única. “Todo o ambiente e apoio em torno do programa é gratificante; O melhor disto foi mesmo ter conhecido pessoas maravilhosas com que me dou superbem”, admite.

De olhos no futuro

A sua primeira participação num programa televisivo é uma experiência que já está a marcar o seu percurso; e que Angie espera que lhe abra algumas portas. Acredita que lhe dá a oportunidade de se dar a conhecer a um novo público, “que não acompanha o YouTube”. Uma visão que prova que a jovem está ciente do caminho que tem vindo a construir profissionalmente.

E para amanhã? Com vários cursos ligados ao teatro e à televisão, admite que esta é uma área em que se vê trabalhar no futuro. “É uma área que me chama muito e gostava de por em prática tudo o que aprendi por vários anos. Teria um enorme prazer em aceitar um projeto na televisão já”. Sonhos à parte, o plano – para amanhã ou para daqui a dez anos – é o de continuar na área da comunicação. “É superabrangente”.

“Poderei vir a fazer parte de um projeto um pouco diferente [do de hoje], nunca descurando as pessoas que acompanham o meu trabalho ao longo dos anos”, diz-nos. Uma coisa é certa, por mais oportunidades que lhe surjam, o canal de YouTube não vai ficar por aqui. “Espero que continue a crescer. Eu continuarei a trabalhar para que isso aconteça”.

Women's Health - Março-Abril 2020

*Entrevista originalmente publicada na Women's Health de março/abril2020 (Edição 26)
Fotografia: João Portugal
Styling: Sétgio Onze
MakeUp & hair: Gonçalo Mello
Agradecimentos: Sheraton Cascais Resort

Brand Story