Menu
Inicio Uncategorized O que devemos saber sobre ansiedade?

O que devemos saber sobre ansiedade?

Ao aprender os fatos sobre a ansiedade, pode tornar-se mais equipado para combatê-la e mantê-la sob controle, diz a psicóloga Andreia Figueiredo.

Andreia Figueiredo
ansiedade, trabalho, stress

POR: Andreia Figueiredo, psicóloga em Lisboa

Compreender a ansiedade e como ela funciona é uma das maneiras mais eficazes pelas quais alguém pode começar a se curar ou a ajudar alguém que precisa de ajuda. Ao aprender sobre os fatos sobre a ansiedade, pode tornar-se mais equipado para combatê-la e mantê-la sob controlo.

A ansiedade é bastante comum

Todo nós experimentamos ansiedade de vez em quando, e é uma resposta inteiramente normal ao stress. Quando a ansiedade se torna crónica ou interfere com a rotina diária, pode ser um transtorno de ansiedade. Os transtornos de ansiedade também são comuns.

De acordo com o relatório Health At A Glance (2018), divulgado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), 18.4% da população portuguesa sofre de doença mental. Na União Europeia, Portugal é o 5º país onde mais pessoas sofrem de Ansiedade e Depressão.

A ansiedade não diferencia

A ansiedade pode afetar pessoas de qualquer idade ou género. Homens e mulheres podem ter transtornos de ansiedade, mas as estatísticas mostram que as mulheres podem ter uma tendência maior para a ansiedade do que os homens.

A ansiedade apresenta-se de diferentes formas

Ansiedade é um termo geral que pode descrever um conjunto de sintomas cuja gravidade pode variar, mas na verdade existem alguns tipos diferentes de transtornos de ansiedade. Alguns incluem transtorno de ansiedade generalizada, transtorno do pânico, ansiedade social e fobias específicas.

A ansiedade pode coexistir com outras condições de saúde mental

A ansiedade é tipicamente comorbida com outros problemas de saúde, como o transtorno bipolar, transtornos alimentares e depressão, que são alguns dos principais problemas de saúde mental. Alguns indivíduos com transtorno de ansiedade também sofrem de depressão. Atualmente não se sabe porque a ansiedade e a depressão são encontradas em pares com frequência. Ainda assim, de acordo com a National Alliance on Mental Illness (NAMI), especula-se que eles podem ter mecanismos biológicos semelhantes no cérebro, ter sintomas que se sobrepõem, e que podem ter os mesmos gatilhos.

A ansiedade tem sintomas diferentes

Ainda que o medo, a preocupação e o receio sejam considerados os traços característicos da ansiedade, os transtornos de ansiedade podem se apresentar de várias maneiras diferentes e podem ser totalmente psicológicos ou também incluir sintomas físicos. Muitos indivíduos relatam ter ambos. Por exemplo, alguns dos sinais mais comuns de um transtorno de ansiedade, além da preocupação persistente por um período prolongado, são inquietação, insónia, fadiga, aumento da frequência cardíaca, palpitações, bem como sudorese e tremores. Estes sintomas são particularmente prevalentes em pessoas que lutam contra o transtorno do pânico e a ansiedade social.

A ansiedade enfraquece

Embora a ansiedade seja uma resposta biológica completamente normal em muitos casos, se for cronica, pode ser destrutiva em vários aspetos da vida de uma pessoa. Se os transtornos de ansiedade não forem tratados, eles podem ser prejudiciais à vida social e prejudicar a sua capacidade de ser produtivo e manter uma rotina de vida saudável.

A ansiedade pode aumentar o risco de vício

Muitas pessoas que batalham com transtornos de ansiedade usam vários mecanismos para ajudar a aliviar o stress e se sentir melhor, mesmo que seja temporário. Isto pode incluir fumar, beber álcool, drogas e até comida. Por exemplo, certos alimentos, principalmente os ricos em gorduras e açúcares, podem proporcionar um alívio temporário, chamados alimentos de conforto. O problema, é que este alívio pode-se tornar viciante, e a longo prazo, alguns vícios podem até piorar a ansiedade também.

A ansiedade tem muitas causas

Não existe uma causa em particular para uma pessoa desenvolver um transtorno de ansiedade, e isso pode variar de pessoa para pessoa. No entanto, embora a ansiedade seja uma condição complexa, muitos dos seus fatores de risco são identificados. Alguns aspetos incontroláveis, como a genética de uma pessoa, a química do cérebro, bem como eventos de vida e fatores ambientais, podem levar ao desenvolvimento de ansiedade em um indivíduo. Por exemplo, alguém que tem uma constituição tímida devido ao ambiente em que cresceu pode desenvolver ansiedade social.

A ansiedade é maltratada

Infelizmente, muitos indivíduos que sofrem de transtornos de ansiedade de qualquer tipo procurarão e tentarão obter ajuda. A falta de diagnósticos é uma das principais razões do não tratamento. Existem muitas razões pelas quais as taxas de tratamento são baixas, em particular, as crenças pessoais e estigmatização em relação à doença mental, ou a falta de acesso a cuidados e a educação sobre a saúde mental.

A ansiedade tem tratamento

Existem algumas estratégias que as pessoas podem adotar para combater a ansiedade. O tratamento para transtornos de ansiedade geralmente envolve psicoterapia e técnicas de exercícios e relaxamento. A psicoterapia é altamente recomendada para o tratamento de transtornos de ansiedade porque pode ajudar a identificar as causas de ansiedade, e pode aprender como controlá-la ou até mesmo eliminá-la.

Compreender a ansiedade é um dos primeiros passos que as pessoas devem dar para a combater. Por meio da educação e da aprendizagem, as pessoas podem se tornar mais forçadas a encontrar tratamento se precisarem, e muitos dos mitos e estigmas relacionados às questões de saúde mental diminuirão com o tempo. O fato mais importante sobre a ansiedade é que ela pode ser vencida com alguma ajuda.

Brand Story