Como comer italiano de forma saudável (e sem engordar)

  • Anterior
  • Próximo

Todos os caminhos vão dar a Roma (e à sua deliciosa gastronomia).

A nutricionista Maria Travassos ajuda-a a analisar o menu para que saiba o que pedir sem que a refeição seja acompanhada de uma dose de culpa.

Do queijo à pizza, este é o guia indispensável para quem é fã de comida italiana e quer manter a palavra saudável no menu.

Está tudo, na galeria, em cima.

    QUEIJO?

“O queijo parmesão é bem-vindo, mas não à descrição! Uma grande vantagem do queijo parmesão é o seu sabor característico: uma pequenina quantidade faz logo uma grande diferença e dá outra graça a um prato".

"Deste modo, se for grande apreciadora de parmesão use-o, mas com moderação!

    MOLHO?

“A opção mais leve é, sem dúvida o molho de tomate tradicional. Pelo facto de o tomate ser cozinhado com azeite, o seu teor em licopeno (antioxidante) fica mais disponível para ser absorvido pelo nosso organismo".

"Quanto ao molho pesto, é verdade que tem um teor de gordura mais elevado do que o molho de tomate. No entanto, parte dessa gordura é de excelente qualidade: proveniente dos pinhões. Os molhos à base de natas (carbonaras, por exemplo), são de evitar”.

    PIZZA?

italiano

“Uma pizza poderá ser uma opção mais saudável se for feita com uma massa integral: o seu teor acrescido em fibra irá promover uma maior sensação de saciedade".

"Para 'topping' devemos privilegiar boas fontes de proteína de alto valor biológico (frango, ovos, atum, camarão, salmão…) e garantir que temos algum hortícola na nossa pizza: beringela, curgete, rúcula, espinafres, cebola, cogumelos…)”.

    INTEGRAL?

“O ideal será sempre optar por massa integral: o seu teor acrescido em fibra irá promover uma maior sensação de saciedade, sendo que a tendência para nos apetecer uma sobremesa no fim da refeição vai ser muito menor”, explica a especialista.

    GRISSINIS?

“Os grissinis são dos alimentos a evitar. Este tipo de 'aperitivo' é habitualmente feito à base de farinhas refinadas, gorduras de má qualidade (gordura hidrogenada) e sal".

"Em termos nutricionais não acrescenta nada à refeição, sendo preferível optar pelas entradas descritas acima, feitas com ‘ingredientes verdadeiros’”.

 

 

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Ads

ARTIGOS RELACIONADOS


OUTROS CONTEÚDOS GMG


Send this to friend