Menu
Inicio Saúde O que comer em cada fase da vida?

O que comer em cada fase da vida?

Personalizar a dieta à fase da vida em que a mulher se encontra é meio caminho andado para se ter saúde e envelhecer com qualidade.

O que comer em cada fase da vida?

“Uma vez que homens e mulheres apresentam necessidades bem distintas, faz sentido falar em nutrição feminina”, diz a nutricionista Andreia Santos. Hormonas, funções reprodutivas, metabolismo e composição corporal são “alguns dos fatores que distinguem os dois géneros e que explicam a necessidade de uma alimentação diferente entre eles”.
Segundo a especialista, por nutrição feminina entende-se o tipo de alimentação que “permite à mulher sentir-se bem consigo e com o seu corpo, ter energia e disposição para as necessidades do dia-a-dia e todos os momentos e períodos de vida, manter-se saudável e envelhecer com saúde”.

Mais: É a alimentação que a mulher faz para se nutrir “na fase em que se encontra e para ajudá-la a viver em paz com a alimentação e com o espelho”, acrescenta Carla Fernandes, nutricionista e mentora do projeto online Nutrição Feminina.

“Ser mulher é viver em vários ciclos ao longo da vida, desde a primeira menstruação (menarca) – onde é frequente surgirem os primeiros sintomas da tensão pré-menstrual -, a própria menstruação mensal, a gravidez, o pós-parto, a amamentação e a menopausa. Nestas diferentes fases, as nossas hormonas expressam-se de forma diferente e uma alimentação e nutrição cuidada são necessárias para atravessar cada uma dessas fases da vida em saúde e equilíbrio”, explica a nutricionista Carla Fernandes.

Porém, e independentemente da fase da vida em que está, “a mulher deve ter consciência das necessidades que o seu organismo impõe”, refere a nutricionista Andreia Santos. E essas necessidades passam pela boa qualidade de sono, pela redução dos níveis de stress e tensão e pela boa alimentação. No que diz respeito à alimentação, a especialista da Clínica. Dr. Fernando Póvoas e CUF Porto Instituto fala da “manutenção de níveis de gordura mínimos essenciais às funções reprodutivas, ingestão calórica inferior aos homens (metabolismo mais lento), ingestão de nutrientes essenciais aos processos reprodutivos e para a manutenção dos níveis hormonais e moderação na ingestão de determinados produtos”, como os processados.

Para Carla Fernandes, “existem vários ajustes alimentares e nutricionais que devem ser feitos de forma individualizada”, mas o segredo é “comer comida de verdade”. “Sintomas pré-menstruais fortes, dificuldade em engravidar, excesso de peso, acne, ovários poliquísticos, depressão pós-parto, energia pós-gravidez, enjoos na gravidez e a alteração do sono na menopausa podem ser melhorados ou resolvidos com uma alimentação cuidada e nutrição individualizada”, enaltece a mentora do projeto digital. Como cada mulher tem a sua própria máquina, nada como procurar ajuda para saber como cuidar melhor dela.

As escolhas mais acertadas para a máquina feminina

Embora cada caso seja um caso e a alimentação deva ser a mais personalizada possível, “a mulher deve garantir um aporte adequado de proteínas e hidratos de carbono complexos, ricos em fibra e de absorção lenta, como cereais e derivados pouco refinados, leguminosas, bata-ta, batata-doce, quinoa, frutos e hortícolas”, diz Andreia Santos.

Comer alimentos ricos em fibras alimentares, ingerir líquidos ao longo do dia (e de forma gradual) e incluir ainda “gorduras ricas em ácidos gordos mono e polinsaturados, como o azeite, o abacate, os frutos gordos e os peixes gordos” é também determinante para o funcionamento correto da máquina que é o corpo feminino, refere a nutricionista, que recorre ao Instagram para conselhos sobre alimentação

Mas é também preciso riscar alguns alimentos da dieta. Sal, açúcar e alguns alimentos processados (que juntam ambos em quantidades nada benéficas), salgados, molhos, refeições já prontas, bolos, bolachas, chocolate, lasanha, pizza e hambúrgueres são exemplos dos alimentos a excluir da dieta, “de forma a evitar a retenção de líquidos e problemas gastrointestinais”. Além disso, previne o ganho de peso e até mesmo doenças consequentes, como a diabetes tipo 2.

Personalizar a dieta à fase da vida em que a mulher se encontra e tendo sempre em consideração os sinais que o corpo dá é meio caminho andado para se ter saúde e envelhecer com qualidade.

Nutrir nas várias fases da vida feminina? Descubra o que deve comer a cada idade!


Leia também

Estes exames podem salvar-lhe a vida

Brand Story