Menu
Inicio Living Michelle Obama: “Não quero que os mais novos pensem que nunca tive...

Michelle Obama: “Não quero que os mais novos pensem que nunca tive dificuldades”

As confissões de Michelle Obama.

Um ano depois de dizer adeus ao título de primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama lança um livro de revelações pessoais, uma história de vida ainda desconhecida para a maioria. A obra Becoming serviu de mote para uma entrevista conduzida por Oprah Winfrey, uma conversa sem tabus, publicada na edição de dezembro da revista Elle norte-americana e que é exclusiva das revistas do grupo Hearst, do qual a Women’s Health pertence.

Foi – e é – uma voz ativa pela saúde e bem-estar dos norte-americanos. Foi – e é – um dos rostos da luta contra a obesidade, contra o racismo, contra o preconceito. Foi a primeira mulher negra a assumir o cargo de primeira-dama dos Estados Unidos, mas isto é apenas parte da história que Michelle Obama agora conta.

“Sentimos a pressão a partir do minuto em que começamos a concorrer [às eleições presidenciais, em 2008, tendo Barack Obama sido eleito Presidente dos Estados Unidos em 2009]. Antes de mais nada, precisávamos de convencer os nossos de que um negro poderia vencer. Não estávamos sequer a ganhar no Iowa. Tivemos primeiro que conquistar os negros, porque os negros como meus avós – eles nunca acreditaram que isso pudesse acontecer, eles queriam isso para nós, mas as suas vidas sempre lhes disseram: ‘Não. Nunca’. Hillary era a aposta mais segura para eles, porque era já conhecida. Abrir os corações para a esperança de que os Estados Unidos abandonariam o seu racismo por um homem negro – acho que isso doeu muito. Só quando o Barack venceu no Iowa é que as pessoas pensaram: ‘Ok. Talvez sim’”.

Em conversa com a conhecida apresentadora Oprah, Michelle diz-se consciente do seu papel de “modelo” e que, por isso, ainda está a construir a sua história, especialmente junto dos mais novos – o seu público-alvo desde início. “Os mais novos estão de olho. E eu não quero que os mais novos olhem para mim e pensem: ‘bem, ela nunca teve dificuldades, ela nunca teve desafios, ela nunca teve medos’”.

Becoming, de Michelle Obama
Becoming, de Michelle Obama

 

A história com Barack Obama

Michelle e Obama são um dos casais mais mediáticos da história. A cumplicidade que sempre espelharam cativou tudo e todos e serviu de bandeira para os anos em que foram os habitantes da Casa Branca. Mas essa cumplicidade vem já desde os tempos em que se conheceram – e que Michelle não esconde no seu livro. “Um dos muitos motivos pelos quais eu partilho [a minha vida privada] é porque sei que muitas pessoas olham para mim e para Barack como um casal ideal. Eu sei que há #RelationshipGoals [objetivos na relação, em tradução livre]. Mas, bem, tenham calma – o casamento dá trabalho!”

Mas as confissões surgem página após página, numa espécie de relato da história que muitos querem saber. “Eu construí a minha existência cuidadosamente, dobrando e dobrando cada pedaço solto e desordenado dela, como se estivesse a construir um pedaço de origami apertado e sem ar… Ele [Barack] era como um vento que ameaçava perturbar tudo isso”, lê-se no livro de Michelle Obama.

E prova de que a relação entre Michele e Barack não é perfeita – mas, sim, normalmente feliz – está no facto de o casal ter procurado apoio. “[A terapia de casal surgiu para] eu explorar meu senso de felicidade. O que me chamou a atenção foi que eu precisava de apoio e precisava dele. Mas precisava de descobrir como construir a minha vida de uma forma que funcionasse para mim”, revela.

A entrevista de Michelle Obama foi conduzida por Oprah Winfrey e é um exclusivo das revistas do grupo Hearst, do qual a Women’s Health pertence.

Brand Story