Menu
Inicio Novidades Jogadoras de andebol de praia já não terão de competir em biquíni

Jogadoras de andebol de praia já não terão de competir em biquíni

Depois da polémica com a equipa norueguesa de andebol de praia, a Federação deu o braço a torcer, eliminando o biquíni como roupa obrigatória.

Twitter

Porque é que os jogadores de andebol podem jogar de calças, mas as jogadoras têm de usar biquíni? É essa a pergunta que muitas pessoas têm feito há anos, ainda mais quando as próprias atletas apresentaram uma queixa formal à Federação Internacional de Andebol, alegando tratar-se de uma regra injusta e sexista.

Neste verão, a polémica voltou a incendiar as redes sociais. A equipa norueguesa de andebol de praia recusou-se a jogar em biquíni durante o Campeonato da Europa. Um ato de protesto contra uma regra do regulamento que consideravam ultrapassada e com a qual se sentiam “desnecessariamente sexualizadas”, explicaram. As norueguesas jogaram de calções e por isso foram penalizadas com uma multa, algo que provocou a indignação de outros jogadores e mulheres em todo o mundo. Tanto que até a cantora Pink se ofereceu para pagar a sanção como uma demonstração de apoio.

Mas a união faz força. E os protestos tiveram o seu fruto: a Federação Internacional de Andebol (IFH) decidiu mudar a regra da roupa, eliminando o biquíni e substituindo-o por um top e calções: “O uniforme da equipa feminina consiste num top sem mangas ajustado ao corpo, calções apertados e acessórios permitidos”, pode agora ler-se nos regulamentos.

A decisão de eliminar o biquíni está agora no mesmo caminho que outras disciplinas como o voleibol de praia, que desde 2012 permite que as jogadoras compitam em biquíni e calções.

Brand Story