Menu
Inicio Nutrição Tudo o que deve saber sobre superalimentos

Tudo o que deve saber sobre superalimentos

Superalimentos: Alimentos considerados bons para a saúde e bem-estar.

É desta forma que o dicionário explica aquele que é um dos termos mais usados na nutrição atual e que dá um novo protagonismo a comidas tradicionais e a alimentos até então desconhecidos para muitos.

Mas a ‘vida’ de um alimento super vai muito além do ser ‘apenas’ bom para a saúde. A ciência já se rendeu a este conceito e são vários os estudos e especialistas que dão o estatuto de ‘super’ a determinados alimentos.

Eis tudo o que deve saber!

 

O que faz de alguns alimentos super e outros não?

Embora não haja ainda uma definição científica para o termo, um superalimento tem vindo a ser descrito como aquele que tem saúde para dar e vender.

Com ou sem muitas calorias à mistura, um alimento considerado ‘super’ oferece um grande leque de nutrientes e propriedades medicinais em pequenas quantidades de alimento.

Segundo David Wolfe, autor de Superalimentos – A Alimentação e a Medicina do Futuro [Marcador], encaixam neste leque de estrelas nutricionais os “alimentos que têm uma dúzia ou mais de propriedades únicas, não apenas uma ou duas”.

Na prática, diz, “os superalimentos são simultaneamente um alimento e um medicamento, pois possuem elementos de ambos. São a classe de alimentos mais potentes, superconcentrados e ricos em nutrientes do planeta – os superalimentos oferecem mais energia do que os alimentos comuns”.

 

Afinal, o que nos oferecem os superalimentos?

Pensar em superalimentos é pensar em natureza e é por isso que são os alimentos de origem vegetal aqueles que conseguem alcançar mais facilmente o estrelato.

Mas, o que é que estes alimentos superpoderosos têm mesmo para nos oferecer? Além de um sem-fim de vitaminas e minerais, são ainda uma fonte de proteínas, antioxidantes, gorduras boas e óleos, aminoácidos essenciais, gliconutrientes, enzimas, coenzimas, ácidos gordos essenciais e polissacarídeos.

O consumo destes alimentos – associado a um estilo de vida ativo e saudável – é capaz de atuar como escudo protetor ou contribuir para um tratamento mais eficaz das seguintes doenças:

  • Alergias
  • Artrite
  • Asma
  • Arteriosclerose
  • Transtorno do défice de atenção (TODA)
  • Cancro
  • Fadiga Crónica
  • Depressão
  • Diabetes
  • Eczema
  • Fibromialgia
  • Doenças cardiovasculares
  • Hepatite
  • Herpes
  • Hipertensão
  • Infeções do VIH
  • Hipoglicémia
  • Insónias
  • Esclerose Múltipla
  • Transtornos do sistema nervoso
  • Imunodeficiência
  • Psoríase
  • Problemas de pele

Para que um alimento seja capaz de nos oferecer o máximo de saúde, importa ainda ter dois aspetos em conta: a sua origem e a forma de confeção.

Deste modo, aconselha o nutricionista David Wolfe, deve-se apostar sempre em alimentos de produção biológica e consumi-los preferencialmente crus.

 

Do mundo para a sua cozinha

Durante muito tempo, o conceito de superalimento era algo que cativava apenas os mais curiosos ou aqueles que pretendiam escapar a sete pés dos medicamentos químicos. Pouco ou nada se sabia sobre o assunto e eram apenas classificados como ‘poderosos’ os alimentos de origem estrangeira e com nomes difíceis de pronunciar.

A ciência passou a olhar com olhos de ver para a questão e num instante nomes como camu-camu, lucuma ou baobab deixaram de causar estranheza e passaram a fazer parte de um plano alimentar saudável.

Mas a lista de superalimentos vai muito além dos pozinhos mágicos!

“A contrário do que se pensa, muitos superalimentos são fáceis de encontrar e de cozinhar, e têm prelos bastante acessíveis”, destaca a nutricionista Mafalda Rodrigues de Almeida no seu livro Superalimentos, refeições com mais vida [Chá das Cinco].

Uma vez que alguns dos superalimentos mais atuais se comercializam em pó – uma vez que pequenas quantidades são o suficiente para promover a saúde – importa “respeitar o que os produtores aconselham” para uso, diz-nos a nutricionista.

Não é por um alimento ser ‘super’ que pode ser consumido em excesso! Em caso de dúvida, consulte sempre um nutricionista para saber quais as quantidades que melhor se adaptam a si.

Clique nas imagens acima e fique a conhecer aqueles que são os superalimentos que tem mesmo de incluir na sua dieta para ganhar saúde!

E já agora, fique a saber como a cosmética também pode ficar mais poderosa com estes alimentos.

Brand Story