Menu
Inicio Nutrição Sem farinha de trigo? Tem aqui as melhores opções

Sem farinha de trigo? Tem aqui as melhores opções

Conheça as alternativas e os métodos de confeção mais indicados para cada tipo de farinha.

Sem farinha de trigo? Tem aqui as melhores opções

As farinhas são o produto resultante da moagem de cereais, pseudo-cereais, leguminosas, fruta, frutos oleaginosos, entre outros. Dependendo da matéria-prima e do processo de moagem, a farinha obtida apresenta diferentes características organoléticas (cor, granulometria, sabor, odor…).

As farinhas, de um modo geral, fornecem amido, um hidrato de carbono complexo que se caracteriza por ser digerido e absorvido lentamente, contribuindo para o aumento da sensação de saciedade. Quanto mais integral for a farinha mais fibra contém, bem como sais minerais (potássio, cálcio, magnésio, fósforo, ferro, zinco). As vitaminas que se encontram em maior proporção são as do complexo B, precisamente as que têm um papel preponderante nos processos de obtenção de energia do organismo. O valor calórico das farinhas, por 100g, pode oscilar entre as 330 kcal (farinhas de cereais) e as 640 kcal (farinhas de frutos oleaginosos, como a amêndoa).

Sem farinha de trigo? Tem aqui as melhores opções

Quem tem intolerância ao glúten, ou doença celíaca, precisa de excluir da alimentação todos os ingredientes que contenham glúten ou vestígios deste. O glúten faz parte da fração proteica de alguns cereais, podendo ser encontrado no trigo, centeio, cevada e trigo espelta. A aveia é considerada isenta de glúten quando é cultivada e comercializada em estado puro. Ou seja, se a aveia for cultivada e/ou processada juntamente com o trigo, ou outros cereais com glúten na sua composição, esta ficará contaminada com glúten. Como tal, quando comprar aveia ou algum produto que a contenha, leia atentamente o rótulo para se certificar que não contém nenhum vestígio de glúten.

Farinha sem glúten, Schar, 4,20€

As farinhas de cereais com glúten podem ser substituídas por outras que não contêm glúten, como as farinhas de arroz, milho e milho-miúdo. Além disso, existem outros ingredientes naturalmente isentos de glúten que também podem ser utilizados na produção de farinhas, como o trigo-sarraceno, a castanha, a amêndoa, a soja, a quinoa, o grão-de-bico, o coco e a alfarroba.

Farinha de coco biológica sem glúten Naturefoods

Farinha de coco biológica sem glúten, Naturefoods, 2,49€

 

Tendo em consideração que as farinhas são provenientes de diferentes matérias-primas, estas apresentam diferentes características e como tal aconselhadas para diferentes utilizações culinárias. A tabela que se segue, apresenta algumas das principais aplicações das farinhas abordadas ao longo do artigo.

 

A melhor farinha para cada tipo de confeção

Designação da farinha Aplicações na alimentação
Trigo Panificação e pastelaria
Centeio Panificação
Aveia Panificação e pastelaria
Cevada Misturar com a farinha de trigo ou centeio na panificação
Trigo espelta Panificação e pastelaria
Arroz Panificação e pastelaria
Milho Panificação e pastelaria

Espessar molhos

Milho-miúdo Panificação e pastelaria
Trigo-sarraceno Panificação
Castanha Panificação e pastelaria

Preparar crepes ou panquecas
Espessar molhos

Amêndoa Bolos tradicionais e biscoitos

Incorporar em batidos

Quinoa Base para receitas de bolos, pães, biscoitos e panquecas
Soja Panificação e pastelaria

Sopas

Incorporar em salgados (crepes, pastéis, rissóis) e batidos.

Grão-de-bico Panificação e pastelaria

Incorporar em salgados (crepes, pastéis, rissóis)

Alfarroba Pastelaria

Sobremesas variadas (mousse, pudins).

Coco Panificação e pastelaria

Receitas de caril

Incorporar em batidos e sumos

Brand Story