Menu
Inicio Gravidez Estou grávida. O que se vai passar com a minha pele?

Estou grávida. O que se vai passar com a minha pele?

A gravidez traz várias as alterações fisiológicas 
que ocorrem à pele, unhas e cabelo. Mas nem tudo é mau, fica já avisada.

gravidez, pele

Fortes cabeleiras, unhas vistosas e um pregnancy glow que fazem qualquer mulher suspirar de inveja. A gravidez pode ser uma fase física e mentalmente positiva para a mulher. Mas a verdade é que isso nem sempre acontece.

Queda de cabelo, unhas quebradiças, acne, manchas cutâneas e estrias são alguns dos cenários frequentes nesta fase da vida e que nem sempre são bem aceites pela mulher. Mas não é preciso levar já as mãos à cabeça. A Women’s Health falou com a dermatologista Catarina Vilarinho e explica tintim por tintim o que acontece ao seu corpo.

O que acontece à pele?

Comecemos por aceitar o óbvio. “É verdade que a gravidez e o estado hormonal nesta fase vão provocar alterações fisiológicas na mulher”; alterações que são normais e que “estão previstas na gestação e após a gravidez”, diz Catarina Vilarinho, dermatologista que dá consultas em Braga e Guimarães*.

No que respeita à pele, pensar em gravidez leva-nos às estrias. Estas linhas resultam da rutura das fibras de colagénio que estão presentes no tecido celular subcutâneo e são uma das principais preocupações da grávida – podendo atingir cerca de 80% a 90% das mulheres nesta fase. Tendem a ser mais comuns no final da gravidez, começando com um tom mais vermelho (que se vai atenuado), e são “mais frequentes e mais visíveis em mulheres de pele clara, por ser mais sensível”, diz a especialista.

Apesar de haver uma componente genética à mistura (que pode ditar a quantidade e a intensidade de estrias), há quatro passos fundamentais para prevenir males maiores:

  • bons hábitos alimentares,
  • boa hidratação,
  • ganho de peso consciente
  • escolha de cremes especializados e próprios para grávidas

Mas se as estrias causarem desconforto ou interferirem com a autoestima da mulher, existem opções em clínica, como o peeling a laser. Os complementos dermocosméticos específicos podem também ser bons aliados.

A linea alba

Relativamente à linea alba, esta “é uma linha que nós temos, branquinha” e que atravessa verticalmente a zona abdominal. O que surge em quase todas as grávidas é a linea nigra. Uma linha mais escura e que se deve ao aumento da pigmentação.

A hiperpigmentação na gravidez pode afetar as aréolas mamárias e a pele púbica. Uma consequência que regride no pós-parto e sem necessidade de tratamento. Embora não seja possível prevenir estas mudanças de tonalidade, a hidratação é um ato que deve ser rotineiro durante os nove meses. É que a pele tende a ficar mais seca – podendo mesmo ocorrer episódios de prurido. “Quando há muito prurido, deve optar por um óleo de banho, por hidratantes que têm na sua composição mentol e calamina, que são antipruriginosos. Opte também por formulações em gel que são fáceis de espalhar e dão frescura à pele, podendo guardar no frigorífico”.


*Catarina Vilarinho dá consultas na Clínica Médico-cirúrgica de Santa Tecla; no Hospital da Senhora da Oliveira, Guimarães; e no Centro Médico-Cirúrgico de Braga.

Brand Story