Menu
Inicio Novidades Estes biquínis são portugueses e vêm do mar

Estes biquínis são portugueses e vêm do mar

…vêm literalmente do mar, já que são feitos de plástico recolhido dos oceanos. A Women’s Health falou com a fundadora da recém-lançada Conscious Swimwear.

Estes biquínis são portugueses e vêm do mar

“Sinto que cada vez mais consigo fazer escolhas acertadas nas várias áreas da minha vida: exercício, alimentação, estilo de vida. Mas sempre com uma postura descontraída e sem extremismos”, dizia Joana Silva, em entrevista à Women’s Health, no verão do ano passado.

Entrevistámo-la enquanto mulher inspiração, cuja forma de estar na vida é tão saudável quando consciente. A marca de biquínis que acaba de fundar, Conscious Swimwear, vai ao encontro desta sua postura.

Reduzir a pegada no planeta

Pensada nos seus ideais pessoais, a marca recém-lançada dedica-se a quem queira fazer compras mais conscientes e deixar uma pegada menos no planeta. “É para uma miúda que tem bom gosto, mas que se preocupa com o meio ambiente e que está alerta para as catástrofes naturais que estão a acontecer e do impacto que temos no planeta”, refere.

Foi no verão do ano passado que o projeto ganhou forma. “Não estava nos meus planos. Foi uma coisa que aconteceu porque entrei de licença de maternidade e aproveitei para aprender algumas coisas de que gostava como costura e cerâmica”, conta-nos.

Embora a ideia inicial fosse criar biquínis apenas para si, o interesse por parte de amigos levou Joana Silva a acreditar que era possível criar algo maior.

“Tinha de se posicionar no meu próprio registo”

“No meu dia-a-dia, já faço escolhas diferentes. Tento reduzir a minha pegada e ter uma postura mais sustentável. Por isso, não fazia sentido lançar uma marca que não se posicionasse também neste registo. Foi daí que parti, e este foi talvez o meu maior desafio, porque queria que fosse reciclado, sustentável e que não fosse tão prejudicial”.

Por isso, o primeiro passo seria o de encontrar um tecido que correspondesse ao interesse da fundadora da marca. “Se não o tivesse encontrado, provavelmente não teria avançado, pelo menos não até encontrar uma solução mais ecológica”.

A solução surgiu sob a forma de uma fibra que resulta de plástico recolhido do mar, que é reciclado ao passar por um processo que o transforma em nylon e mistura com outros materiais. Para os biquínis, ao nylon conjuga-se com elastano, pela necessidade de haver elasticidade em cada peça. “A fibra reciclada compõe 78% e os restantes 22% são de elastano.

Simples, minimal e sem desperdício

… é aí que a marca se destaca. Quando questionada sobre o que separa a Consious Swimwear de outras marcas portuguesas, Joana Silva começa por apontar o design simples. Ainda, todos os padrões da marca são originais (a lycra é comprada a cru, onde depois se imprime cada padrão) e há a liberdade de se comprar as peças em separado, “seja por tamanhos diferentes, para conjugar padrões ou porque apenas se quer uma peça”.”Estamos a dar ao consumidor a liberdade de comprar apenas aquilo que necessita, o que revela também o nosso lado mais sustentável, porque não incentivamos ao consumo excessivo”.

Voltando aos padrões, além de originais são “um bocadinho diferentes do que estamos habituados a ver. Claro que há modelos mais simples, mas os designs que se destacam são aqueles mais complexos e de tons vivos”. “Eu sou uma pessoa bastante simples e tenho alguma dificuldade em encontrar biquínis com um bom corte, mais neutros e de boa qualidade”, admite.

De facto, qualquer um dos modelos Conscious Swimwear é “a cara da Joana”, como lhe dizem aqueles que a conhecem. E a fundadora admite que usaria qualquer um deles, não tivesse a marca nascido do seu próprio estilo. Estão disponíveis três modelos de cueca e sutiã em preto, branco ou castanho (estes dois últimos, com padrão).

“O ‘brown leopard’ é o que está a ter mais sucesso, sem dúvida, e o branco também está a sair muito bem”, conta-nos Joana, quando questionada sobre o feedback à marca, cujo lançamento online aconteceu apenas há uma semana. “Estou surpreendida por estarmos a vender tão bem”, admite. “As pessoas que encomendaram estão a começar a receber os seus biquínis e o que mais falam é da lycra. Por ser reciclada, esta lycra tem um toque um bocadinho mais grosso, e sente-se a diferença.

Vendas online e não só

A venda começou no site da marca, mas ainda esta semana os biquínis da Conscious Swimwear chegam à Fair Bazaar, uma multimarcas na Embaixada do Príncipe Real, em Lisboa, que prima pelos produtos ecológicos e conscientes. Na próxima semana, também na Ericeira serão vendidos alguns modelos.

Quanto a novidades, a fundadora da marca revelou à Women’s Health que tem estado a trabalhar num fato de banho a ser lançado ainda antes do verão. Mais novidades estarão para vir – sempre num registo muito neutro e minimal. O que Joana não pretende são coleções temporais, que comecem e terminem a cada ano. Em vez disso, “os biquínis agora apresentados serão clássicos, vão estar sempre à venda mesmo que lance outros padrões. A minha ideia é inserir coisas novas na marca, mas tudo o que resultar, irá se manter”, explica.

“O que distingue a marca é também isso, eu quero manter as coisas um bocadinho mais intemporais, mas vender sempre novidades. Enquanto um modelo resultar, ficará disponível”, conclui.

Tudo isto, a par de uma produção artesanal que permite um maior controlo sobre aquilo que é criado. Sem desperdícios, cada peça é feita à mão pelas duas costureiras que trabalham para a marca. Antes de a peça ser criada, Joana tem de garantir a lycra reciclada, que passa ainda pelo processo de impressão. “É bom para o ambiente e é bom para nós em termos de sustentabilidade da empresa”, admite.

O que se segue?

Se estender a marca a outros produtos está nos planos? “Tudo depende de como esta linha correr, mas adorava, era muito bom sinal”.

Percorra as imagens da galeria e conheça os modelos da Conscious Swimwear já disponíveis para venda.


Leia também

Moda e sustentabilidade? Marcas portuguesas apostam na ecologia

Brand Story