Menu
Inicio Running Esta maratonista tem algo a dizer sobre corrida e aceitação corporal

Esta maratonista tem algo a dizer sobre corrida e aceitação corporal

A ultramaratonista Mirna Valerio diz que não é “a típica ultramaratonista” e defende a mensagem de que os trails não se importam com o aspeto dos corredores.

Mirna

Há cerca de um ano atrás, Mirna Valerio mudou-se com o seu filho para Montpelier, Vermont, nos Estados unidos, em busca de ambientes com mais ar fresco, montanhas e trilhos. Ansiosos por ar fresco e montanhas cheias de trilhas. Bem, isso e a política progressista, como nos diz em tom de brincadeira a ultramatonista. a nova morada fica a um mundo de distância de Geórgia, onde viveu até 2008. Valeria não esperava que este fosse o cenário atual da sua vida mas, há 11 anos atrás, a agora autora e oradora pública aprendeu que se não tivesse tomado uma mudança dramática no seu estilo de vida, poderia morrer.

“Achei que tinha tido um ataque cardíaco”, lembra Mirna Valerio ao referir-se ao ataque de ansiedade que a levou diretamente ao consultório de um cardiologista que lhe mudou a sua vida para sempre. “Foi assustador. Eu deixei-me chegar a um ponto em que simplesmente não cuidava de mim. Mas foi este incidente que me ajudou finalmente a fazer a mudança que eu sabia que precisava.”

Decidiu calçar as sapatilhas e dar outra hipótese ao fitness

A ex-atleta de hóquei em campo (no secundário), decidiu calçar as sapatilhas e dar outra hipótese ao fitness. Começou com uma única milha em 2008. Todos os dias, numa passadeira, aquela milha parecia um esforço imenso, mas alcançável. Nos meses seguintes, a distância mínima passou a ser de 5km, depois 10km, depois a distância de uma meia maratona e, em dois anos, inscreveu-se na sua primeira maratona com um amigo. Em pouco tempo, Valerio já nem se lembrava de como era a vida antes das suas corridas regulares.

“É difícil colocar em palavras, mas eu preciso de correr”, confessa. “Eu preciso mover o meu corpo desta maneira muito específica. É isto que me define mental e emocionalmente. Obviamente, é algo bom para o meu corpo mas, aqui nas montanhas, também me dá a oportunidade de me envolver todos os meus sentidos, é isso que me apaixona”.

“Quero que saibam que independentemente do corpo que tenham, pertencem a este mundo”

Valerio documentou a sua jornada de corrida no seu site pessoal e conta de Instagram e rapidamente ganhou destaque. Como esperado, a visibilidade aumentou o espaço para criticas e eram muitas as que referiam o seu corpo. Mirna Valerio não nega que, ao início, não foi fácil lidar com aqueles julgamentos.

“Rapidamente me apercebi de que não podia dar ouvidos àquela energia negativa. Corredores como eu não estão habituados a ver-se representados nos media. Também não são representados numa feira dedicada a maratonas, onde as camisolas de prova raramente me servem. Senti que tinha a oportunidade de retirar algo bom daqui”.

Hoje, com 14 ultramaratonas e 10 maratonas corridas, a ultramaratonista orgulha-se da pessoa em que se tornou, mais forte que os seus ‘haters’

“Quem tomou a decisão de que alguém com o corpo como o meu não se move como um runner?”

A questão é lançada pela própria Mirna. “Não posso controlar a opinião dos outros nas redes sociais, mas posso controlar a forma como encaro tais opiniões. E nenhuma destas opiniões vai afastar-me dos meus objetivos”.

Atualmente, além de correr pelos seus objetivos, esta corredora encoraja os demais a fazer o mesmo: desfrutar do ato de correr – o seu desporto – sem se importar com o seu tamanho.

“Quero que todos encontrem a sua alegria”, diz-nos. “Quero que os outros partilhem o meu entusiasmo pelo desporto. Que saibam que, independentemente do corpo em que vive, este mundo também lhes pertence.

A todos aqueles que também se sentem retraídos no mundo do desporto pelo corpo que têm, Mirna deixa algumas dicas que também ela pôs em prática

  1. Lembre-se. as mudanças demoram
  2. Mesmo quando tudo parecer difícil, não pare
  3. Defina objetivos inteligentes
  4. Foque-se em si mesma em primeiro lufar
  5. Encontre a sua comunidade

Brand Story