Publicidade Continue a leitura a seguir

É por isto que treme durante o exercício físico

Publicidade Continue a leitura a seguir

Seja a treinar musculação, a manter-se numa postura de yoga ou a manter o ritmo numa corrida longa, por vezes sentimos que, como resultado do esforço, os músculos começam a tremer. O motivo deve-se ao facto de não estar na sua melhor forma – e esta justificação pressupõe várias situações. No geral, digamos que os tremores durante o treino não são mais do que uma falta de coordenação nervosa intramuscular.

Quando fazemos um esforço físico, os nossos nervos enviam sinais para os músculos se contraírem. Se estiver numa boa condição física, este sinal fica sincronizado e todas as fibras musculares contraem-se ao mesmo tempo. Por isso, se treinar com uma carga superior à que deveria, ou se mantiver uma postura de yoga ou prancha por demasiado tempo, o sinal nervoso atinge todas as fibras musculares fora da sincronização, fazendo com que algumas se contraiam mais cedo e outros mais tarde. Resultado? Os tremores de que falámos.

Mas o que causa exatamente esta dessincronização? A WH aponta as razões mais comuns. Ora confira:

Fadiga

Depois de um treino intenso, ou durante o treino, o tremor é a resposta fisiológica à fadiga e um excelente indicador de que atingiu a sua intensidade máxima. Nesta fase, é hora de diminuir a carga, fazer uma pequena pausa ou até mesmo dar por terminado o treino. É o sinal do seu corpo que avisa que atingiu a sobrecarga muscular.

Músculos subtreinados

Todas nós sabemos o quão importante é mudar a rotina de treino e realizar diferentes atividades desportivas. Corrida combina maravilhosamente bem com natação, levantamento de pesos, ciclismo, pilates e ioga. Se incluir estas modalidades num plano de treino bem diversificado, terá um desempenho melhor, correrá com mais eficiência e com menos risco de lesões porque estará a trabalhar todos os grupos musculares. Às vezes, os tremores aparecem quando trabalha músculos que normalmente não usa. Se, por exemplo, quando faz uma prancha isométrica ps seus braços tremem e você sente muita tensão nos ombros e no pescoço, é sinal de que precisa de fortalecer o core para evitar possíveis lesões na região lombar.

Ainda, tão importante quanto treinar todos os músculos é garantir o devido descanso dos mesmos. Se fizer um treino variado, além de trabalhar diferentes grupos musculares, estará a dar uma folga ao seu corpo e nenhum músculo acaba sobrecarregado.

Falta de minerais

Se tiver faltar de sódio ou potássio – que são responsáveis ​​por garantir a tensão e relaxamento muscular, os músculos não reagirão como deveriam e podem ocorrer cãibras e tremores devido à exaustão. Durante a prática desportiva perdemos sais através do suor, principalmente eletrólitos de sódio e cloro. Um défice destes minerais compromete a função normal dos músculos. Consequentemente, o sinal nervoso do cérebro atinge as fibras musculares fora de sincronia. O alimento estrela para evitar esse défice é a banana, uma fruta rica em minerais e vitaminas que nos dá energia, ajuda na regeneração muscular e fornece os nutrientes que foram perdidos durante o treino.

Desidratação

Quando o corpo está desidratado, o tecido conjuntivo também sente dificuldade em enviar sinais do cérebro para as fibras musculares. Por outras palavras, o seu corpo não responde como deveria. Certifique-se de que bebe água durante os treinos e mantenha-se hidratada ao longo do dia.

Falta de sono

O sono desempenha um papel vital na nossa capacidade de nos exercitarmos de forma eficiente e eficaz, pois permite que os músculos descansem e recuperem do esforço realizado.

Se dormiu pouco, o corpo irá tremer ao menor esforço por pura exaustão. Se treina regularmente e percebe que agora seus músculos tremem mais, pare para pensar em como tem dormido ultimamente. Às vezes, é melhor cancelar um treino e compensar o sono perdido.

Pressa

Na maioria dos treinos, faz sentido dar o máximo. Mas nos casos em que os seus músculos tremem muito, talvez possa estar a exagerar na intensidade. Além disso, treinar com pressa compromete o ritmo certo e a boa execução dos exercícios, o que leva a um maior risco de lesão.

Ego

Quando é constantemente bombardeada por imagens de pessoas super em forma, que batem constantemente os seus próprios recordes, é fácil sentir que não está a dar o seu máximo. Foque-se em si, na sua evolução e não tente chegar ao ritmo dos outros. Caso contrário, só estará a comprometer o seu próprio treino. Se tremer muito durante o treino, é sinal de que deve ouvir o seu corpo e recuar um pouco. Vá ao seu ritmo e seja mais eficiente.