Menu
Inicio Treino Devo começar ou terminar o treino com cardio?

Devo começar ou terminar o treino com cardio?

Personal trainer Nuno Lobo tira todas as dúvidas.

Devo começar ou terminar o treino com cardio?

Quando falamos em exercício físico é quase impossível não termos a nossa mente dividida em duas imagens muito concretas: musculação e atividade aeróbica… o tão temido cardio.

Sim, cardio, aquela pequena e intensa palavra que tanto nos faz suar só de pensar e que ora se ama, ora se odeia (de morte), mas que “todo o tipo de atleta deve incluir” no seu plano de treino.

Quem o diz é o personal trainer Nuno Lobo que, em declarações à Women’s Health começa por explicar que o exercício cardiovascular é nada mais, nada menos do que “toda a prática de atividade física que aumente a nosso ritmo cardíaco de forma continuada, por um determinado período de tempo, como caminhar, correr, nadar, saltar à corda, andar de bicicleta, etc.”.

Importante numa rotina de treino variada, equilibrada e adaptada às necessidades de cada pessoa, o cardio deve ser prioridade para quem está “num processo de perda de peso”. Segundo o especialista, nos casos de quem ainda luta contra os quilos a mais na balança, deve-se “dar primazia ao treino cardiovascular, pois garantirá um maior consumo de gordura corporal como fonte principal de energia no próprio treino”, reforça.

Mas isso implica começar ou terminar o treino com cardio? Eis a questão.

 

Cardio no início ou no fim do treino?

Odeie-se ou não os exercícios cardiovasculares, a dúvida quanto à ordem em que devem ser executados num treino é uma constante – e muito por culpa do diz-que-disse e de todos os falsos entendidos na matéria.

Devem apenas as pessoas que querem emagrecer começar o treino com exercícios cardiovasculares? Devem apenas as mulheres ter esta preocupação? Acabar o treino com atividade cardiovascular vai ‘queimar’ o músculo ganho? Não, não e não.

Quando questionámos o PT sobre estas dúvidas, a resposta não poderia ter sido mais esclarecedora: “Não devemos olhar ao sexo para decidir quais os melhores exercícios para cada um. É a condição física que deve prevalecer nessa decisão/escolha”. E isto porque “um treino poderá sempre começar com cardio, se este for eficientemente adequado em intensidade e tempo a esses objetivos”.

Contudo, “num processo de perda de peso/massa gorda, por exemplo, começar o treino com exercícios cardiovasculares será o mais indicado”, embora o treino de força seja igualmente importante para o processo de tonificação muscular.

“O treino cardio pode ser combinado com treino de musculação para atingir a máxima definição e força muscular. No entanto, ao deixarmos o exercício cardiovascular para o fim, quando tiver terminado o treino de força, seremos capazes de queimar as últimas calorias que restaram nas nossas reservas, otimizando a definição muscular sem comprometer a massa muscular que tanto custou a ganhar”.

Sim, pode desde já esquecer a ideia de que fazer cardio no final do treino vai queimar a massa magra pela qual tanto tem lutado (quem nunca?).

 

Tempo ideal de cardio

Mais uma vez, cada caso é um caso e o tempo de treino depende sempre “da condição física” do atleta, porém, Nuno Lobo dá-nos umas luzes: “o exercício cardiovascular pode ter uma duração variável”.

“Nesta perspetiva e direcionando a resposta para um ‘atleta’ comum, não profissional, eu diria que 45 minutos a uma hora de treino cardio será um bom treino se estivermos a falar de um dia só de cardio. Quando incluído num dia de treino variado, 10 minutos/20 minutos será suficiente”.

E por treino variado entende-se, por exemplo, a combinação de cardio com força – duas atividades que em nada se invalidam e em muito se complementam. Segundo o PT, o treino cardiovascular em nada condiciona outros tipos de atividade, aliás, quando mais completo for o plano de treino melhor, isto, claro, se respeitar as necessidades e objetivos de cada atleta.

“Se possível”, deve ser “sempre” aliado ao treino de força, “seja pela componente da tonificação e fortalecimento muscular, seja como complemento ao processo de perda de peso”.

“Se por um lado usamos o treino cardiovascular no consumo de gordura como fonte principal de energia durante o treino, o treino de força vai assegurar um aumento do ritmo metabólico e garantir o consumo de calorias mesmo em descanso, nas 24h após a sua realização”, explica.

Brand Story