Menu
Inicio Perder Peso Como o zumba serviu de trampolim para perder 30 kg

Como o zumba serviu de trampolim para perder 30 kg

Lutou deste a infância com o excesso de peso, tendo sido comparada a um lutador de Wrestling. Perdeu mais de 30 kg e é uma micro-influencer no Instagram.

Inês Castanheira

Inês Castanheira é a prova de que é possível mudar o chip, até mesmo quando anos de maus hábitos parecem não querer desaparecer. Veja a galeria de imagens acima e descubra a mudança impressionante.

Inês lutou deste a infância com o excesso de peso, mas houve um momento em que tudo tinha de mudar – e mudou. “Não gostava da minha imagem, não gostava de mim, nem de me ver ao espelho“, contou no início da conversa com a Women’s Health. Sofreu de bullying e viu de perto a crueldade dos seus colegas de escola quando inclusive a apelidavam de nomes como Big Show, um lutador de wrestling que pesa cerca de 170 kg.

Bióloga de profissão, Inês chegou a pesar 93 kg antes de iniciar o processo de perda de peso. Quatro anos depois, reduziu 30 quilos aos números que vê na balança – e não poderia estar mais satisfeita com o resultado de todo o esforço e empenho.

O excesso de peso sempre foi uma constante na vida da jovem, hoje com 25 anos, tendo passado por várias dietas diferentes, mas quase todas sem sucesso. Hoje, é um exemplo do estilo de vida saudável e é essa a mensagem que quer passar a todos.

Mudar o chip

Na altura, comecei uma dieta da moda, com a minha mãe e a minha tia, mas fui a única que a levou a sério”, continua. Sozinha, numa luta quase ingrata para obter os resultados pretendidos, Inês tentava perder o peso a mais que a fazia sentir-se desconfortável. No entanto, o ponto de viragem aconteceu quando deixou o estilo de vida sedentário e começou a praticar algum desporto.

Inês Castanheira

O primeiro passo foi a frequentar aulas de aeróbica, como Zumba, promovidas pela junta de freguesia. “Era muito sedentária. Se pudesse estar o dia todo sentada e não me mexer nem para pegar no comando da televisão, fazia-o”, explica.

Mas foram essas mesmas aulas, mesmo que pontuais, as impulsionadoras para uma mudança radical no seu estilo de vida e na sua forma de estar. Se Inês fora, outrora, sedentária ao ponto de nada querer fazer, aos poucos passou a ser uma fit girl à séria, daquelas que olha para o ginásio como uma casa e para o exercício físico como uma forma de estar na vida.

Ao ver alguns resultados, a vontade de continuar era cada vez mais forte e os objetivos foram-se materializando. Inscreveu-se num ginásio e queria levar o processo de mudança a bom porto, tendo sempre o medo de que todas as suas conquistas fossem por água abaixo. Ainda sem noção sobre exercício físico ou nutrição, em 2014 Inês começou a desenvolver gosto por estas áreas e começou a recolher informação de todas as fontes possíveis, tendo ainda começado a seguir algumas páginas de estilo de vida saudável no Instagram.

Compulsão alimentar

Ao fazer uma dieta desadequada para o seu corpo e para os seus objetivos, Inês começou a ter episódios de compulsão alimentar. O pior de todos estes episódios foi na noite de Natal de há dois anos.

Comi tantas entradas, pão e queijo, que, quando meti a primeira garfada de bacalhau à boa senti-me de tal forma mal que passei o resto do jantar de Natal na casa de banho, mal disposta, enquanto a minha família estava a jantar. Perdi momentos por estar a fazer uma dieta extremamente restrita e que não se consegue levar durante muito tempo, porque acabamos sempre por desistir”, conta.

À data, a jovem bióloga estava a fazer uma dieta altamente restritiva, mas durante um dia por semana, tinha liberdade de comer tudo o que quisesse. Era justamente nesses dias em que exagerava de tal modo, que chegava mesmo a passar mal. Hoje, depois de ter perdido 30kg, Inês revela que essa foi uma fase difícil e alerta para o facto de que as preocupações com o estado psicológico também deverem ser tidas em conta.

A meu ver, é preferível ter uma alimentação variada, cuidada e escolher os alimentos mais nutritivos, mas não nos devemos limitar ao ponto de isto ter impacto na nossa vida”.

Apesar da perda de peso já significativa, Inês sentia que necessitava de ajuda profissional. Recorreu a um apoio online, onde recebia planos de treino e também um plano nutricional, mas deixa o alerta para o perigo deste tipo de aconselhamento. Isto, porque acabou por emagrecer demasiado. “Na altura eu trabalhava num hotel e tinha uma carga física muito grande. Durante esse tempo acabei por perder demasiado peso e o plano de treino não era, de todo, adequado a mim”.

Trocou o tipo de acompanhamento e foi aí que começou a ter uma noção das quantidades, e dos nutrientes. “Aprendi a comer de acordo com a quantidade de calorias que tinha para ingerir durante o dia e aprendi a fazer as melhores escolhas, incluindo alimentos de que gosto, para ter uma alimentação mais variada”.

Atualmente a tirar o curso de Técnico especialista em exercício físico, Inês tem o desejo de servir de exemplo para motivar as pessoas, algo que faz com recurso à sua conta de Instagram, onde partilha fotografias da sua alimentação, bem como algumas dicas de treino.

Deixa-me feliz mostrar que é possível e que não é preciso fazer um sacrifício assim tão grande e que podemos comer de tudo um pouco e atingir os nossos objetivos”

Brand Story