Menu
Inicio Running Como treinar o seu cão para correr consigo

Como treinar o seu cão para correr consigo

E se o seu melhor amigo de quatro patas a acompanhasse nos próximos treinos de corrida? Pode ser uma boa aposta para ambos, mas há que saber como começar.

cão, correr

O passeio diário – um, pelo menos – faz parte da rotina da grande maioria dos que têm cães. Mas e se, além deste passeio, fizesse das suas próprias corridas mais um momento para estar com o seu patudo?

Uma excelente forma de o fazer exercitar-se, gastar energia e claro, é uma motivação extra para si também. Tudo ótimo, mas antes de se desafiar, há que perceber como treiná-lo para esta prática e o que garantir antes do treino.

Para começar, a hidratação é imprescindível. Além disso, há que evitar as horas de maior calor, não só pelas altas temperaturas sentidas mas pela segurança das patas do animal, que podem ficar feridas caso opte por correr (ou passear) numa altura em que o asfalto está excessivamente quente.

A par destes cuidados básicos, atente também que diferentes raças, idades e mesmo o porte irão determinar se a corrida é, ou não, uma opção saudável para o seu cão. Nada como questionar junto do veterinário que acompanha o seu animal. Se ele considerar que deve sim treinar o seu próximo parceiro de treino, prepare-se!

As dicas dos especialistas

Há certos truques que pode usar para orientar o seu cão na (nova) prática de corrida. E existem profissionais da área do treino animal que são experts neste tema. Mas se pretende que este seja um treino só vosso, o médico veterinário Pedro Rodolfo Assunção deixa algumas dicas.

“Habitue o cão à trela desde tenra idade e associe a colocação da trela a algum topo de reforço positivo como uma guloseima. Mais tarde, o doce pode vir a evoluir apenas por um gesto de carinho” diz o especialista, que dá consultas ao domicílio na região centro.

Também deste pequeno é importante habituar o animal ao contato com pessoas, barulhos diferentes e outros animais. Garantindo esta habituação, há que “manter uma postura direita e confiante quando passeamos ou corremos com o cão”, sugere Rodolfo.

“As restantes dicas estão relacionadas com o treino básico e comando de um cão, para que o animal responda mais facilmente a uma ordem por parte do dono aquando de uma caminhada ou corrida”, conclui o especialista, que resume o ‘treino básico’ a ordens como dar a pata, sentar ou deitar.

Como saber se estou a exigir demasiado do meu cão?

Esta pode ser uma insegurança para quem corre, depois de habituar o cão a um certo ritmo inicial de corrida.

Segundo Pedro Rodolfo, há quatro situações distintas com que podemos perceber se estamos ou não a exigir demasiado do animal:

  • lentidão na corrida
  • Respiração que evolui para um estado bastante ofegante
  • Procura do animal por uma sombra
  • Relutância à corrida, deitar-se ou recusar a andar

Apostamos que, se o seu cão gostar de correr e foi bem orientado nesta prática, irão ambos divertir-se bastante com estes passeios mais energéticos. Mas lembre-se: o cão depende de si, não é o mesmo do que correr com outra pessoa. Mas sabemos que valerá a pena esta atenção extra que lhe ocupará uma pequena parte dos treinos.

Brand Story