Menu
Inicio Nutrição Como a dieta na infância afeta o metabolismo

Como a dieta na infância afeta o metabolismo

Encontrar resposta para esta vasta questão foi um dos objetivos da Universidade do Porto, que analisou as consequências da rotina alimentar dos mais novos.

Como a alimentação na infância afeta o metabolismo

 

Que efeitos tem a alimentação de uma criança de sete anos no seu desenvolvimento? Como é que o consumo de alimentos processados, e a preferência destes a legumes, leva – ainda em idade precoce – a graves consequências?

Foi o que se procurou responder através da análise desenvolvida pelo Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto, agora publicada na revista científica Clinical Nutrition.

Andreia Pinto, principal autora do estudo, reconhece que algumas das consequências de uma má alimentação na infância já eram reconhecidas, nomeadamente a influência em aspetos metabólicos como o colesterol ou pressão arterial. Contudo, “não sabíamos até que ponto é que esta relação se estabelecia em idades precoces”.

Para o confirmar, o grupo de investigação coordenado por Andreia Oliveira baseou-se numa amostra de 3350 crianças portuguesas. Destas, foi analisado o padrão alimentar aos sete anos de idade. A mesma amostra foi revista 3 anos mais tarde, aos 10 anos.

Deste período, foi possível confirmar que uma alimentação rica em alimentos processados afeta, de facto, o metabolismo desde cedo.

Processados em vez de sopas

Aqueles cuja alimentação era rica em alimentos processados apresentavam, apenas com 10 anos, alterações metabólicas. Falamos por exemplo de maior resistência à insulina ou maiores níveis de pressão arterial. De referir que tais consequências eram notórias independentemente do peso da criança.

Para os autores desta investigação, estes dados devem ser principalmente reconhecidos pelos pais e educadores. Devem pois apoiar, em prol de uma saúde a longo prazo, uma alimentação saudável, variada e livre de alimentos processados.

Seguindo a mesma linha, recordemos as estratégias propostas pela Direção Geral de Saúde (DGS) para promover uma alimentação mais saudável. Os tópicos são apresentados na galeria acima apresentada e foram retirados do Relatório do primeiro ano de trabalho da Estratégia Integrada para Promoção da Alimentação Saudável (EIPAS)

 


Leia também

Jovens portugueses têm acesso limitado a alimentos saudáveis

Brand Story