Menu
Inicio Beleza Beleza made in Portugal. As marcas que tem mesmo de conhecer

Beleza made in Portugal. As marcas que tem mesmo de conhecer

Há um slogan bem conhecido de todas nós que diz que ‘o que é nacional é bom’. E mundo da cosmética não poderíamos estar mais de acordo.

Apesar de passarmos grande parte da nossa vida em contacto com marcas internacionais, que ganham posicionamento – e sobretudo confiança – um pouco por todo o mundo, Portugal é também palco de produção cosmética e são as marcas made in Portugal as novas meninas bonitas dos necessaires.

Nomes como Couto, Claus Porto, Benamôr e Confiança são já bem conhecidos e acabam mesmo por passar de geração em geração, acabando por assumir uma portura familiar e até mesmo de luxo em algumas casas.

Mas não são apenas as marcas mais tradicionais a dar cartas na beleza da atualidade.

 

Beleza made in Portugal. As marcas que tem mesmo de conhecer

Se algumas marcas mais antigas fazem já parte do quotidiano de muitas famílias – e em alguns casos há já várias décadas -, estão agora em voga nomes como Dvine, Made in Youthland, Sustent’Habil e ATL, que em nada fazem lembrar Portugal (muito por culpa da escolha de nomes em inglês, que facilitam – e muito – a internacionalização), mas que acabam por cair nas graças por cá.

A ATL, por exemplo, é produzida pelo laboratório português Edol e saltou dos cuidados dermatológicos clínicos para a rotina de beleza de muitos portugueses. Já a Made in Youthland é uma marca de beleza criada apenas em 2016, mas que já encontrou o seu público além-fronteiras – e muito graças à união entre o luxo e o conforto (os mesmo produtos podem ser usados por homem e mulher).

Mas, em que é que a beleza made in Portugal difere da que se faz lá fora? Em primeiro lugar, na história que algumas marcas trazem consigo e que remetem a negócios familiares de sucesso ou a glorificações de terras portuguesas – como os Açores e a região do Douro, como acontece com a Ignae Skincare e com a Dvine, respetivamente.

Mas um outro grande destaque (tal como acontece na moda) vai para a produção mais sustentável. Uma vez que os produtos não são feitos em grandes quantidades, como acontece nas grandes marcas internacionais que vendem para todo o mundo, a produção made in Portugal acaba por ser mais consciente, sustentável e, por vezes, artesanal. Os sabonetes da Castelbel, por exemplo, são ainda feitos à mão.

Além disso, Portugal tem dado cartas na cosmética biológica e vegan, conquistando um mercado em crescimento e que tem ainda França como líder.

Pronta para se render à beleza made in Portugal? Clique nas imagens e saiba quais são as marcas que tem mesmo de conhecer.

 

 

https://www.womenshealth.pt/beleza/volta-as-origens-poder-dos-sabonetes/

Brand Story