Menu
Inicio Gravidez Barriga de mamã? Compreenda a diástase abdominal

Barriga de mamã? Compreenda a diástase abdominal

Marta Moura, personal trainer e Fit Girl Oficial da Women’s Health explica.

Barriga de mamã? Compreenda a diástase abdominal

A maior parte das mulheres (80%) que já tiveram filhos, sofre de um problema que raramente é abordado pelos seus médicos obstetras, na revisão do parto, nos centros de saúde, etc. Essa condição chama-se diástase abdominal.

Algumas mamãs, quando começam a ir ao ginásio ou a treinar, chegam lá e dizem que não pode fazer abdominais porque tiveram bebé e o médico disse para esperar. No entanto, nem elas sabem exatamente o que podem ou não fazer , nem o porquê… nem mesmo até quando terão de esperar…

É importante explicar o porquê de necessitarem de algum tempo de recuperação, o que aconteceu com o seu corpo, nomeadamente com os seus músculos abdominais e como poderão recuperar completa e corretamente da sua gravidez.

Adotando uma linguagem acessível, a DA (diástase abdominal) acontece porque os músculos do reto abdominal vão afastar-se e esticar ao máximo para acomodar o crescimento do bebé e do útero.

Quando o bebé nasce, os órgãos vão voltando ao seu lugar, o útero vai diminuindo, mas esses músculos do abdominal encontram-se fragilizados, imaginem um elástico que esticou demasiado, quando o soltam ele fica laço e enfraquecido, e pode resultar numa separação/afastamento desses músculos centrais.

Alguns dos sintomas que pode significar a presença de uma DA são:

  • Uma barriguinha persistente que não desaparece com dieta ou exercício;
  • Falta de força no abdominal;
  • Dor nas costas, nomeadamente na lombar.

Sobretudo, o maior problema é a falta de autoestima, pois as mulheres pensam que nunca mais vão recuperar a sua barriga lisa e que estão condenadas a viver com a ‘barriga de mãe’.

Para verificar a existência e medir a DA, a melhor posição é deitada de barriga para cima com as pernas fletidas, colocar uma mão a apoiar a cabeça como se fosse fazer um crunch, e com a outra mão vamos pressionar logo acima e abaixo do umbigo para ver se os dedos afundam. Se não conseguir afundar os dedos, não existe DA, parabéns! pertence à minoria das sortudas.

Se consegue, veja até onde os consegue afundar e se mede 1, 2,3 ou 4 ou mais dedos de largura para poder avaliar a gravidade e posteriormente, medir os progressos.

Normalmente consegue-se resolver esta questão com exercícios de fortalecimento do transverso abdominal (camada mais profunda do abdómen), em casos extremos será necessário haver intervenção cirúrgica.

Seja como for, não precisa de ficar com essa barriguinha saliente para o resto da sua vida, nem com os desconfortos que a acompanham.

 

Por: Marta Moura

Personal trainer e Fit Girl Oficial da Women’s Health

Marta Moura

Instagram @martamourafit

Brand Story