Menu
Inicio Living “Arranjo sempre motivação”. Como treina a modelo Maria Clara?

“Arranjo sempre motivação”. Como treina a modelo Maria Clara?

Com 21 anos, já se habituou à azáfama de correr pelas passerelles do mundo. Antes de desfilar para a ModaLisboa, a modelo falou à WH sobre o seu dia-a-dia.

Aos 18 anos, desfilou pela primeira vez para a Dolce e Gabanna. Este mês, repetiu o feito pela oitava vez. Também para a francesa Dior já desfilou nove meses, o que prova o valor da jovem modelo. Antes deste feito, o primeiro grande marco na sua carreira foi dado em 2013. Já faz seis anos que a modelo venceu o concurso L’Agence Go Top Model.

Desde então, já protagonizou editoriais para publicações de moda nacionais estrangeiras além de desfilar para grandes marcas. Lacoste, Gucci, Armani Privé ou Dior fazem parte da sua experiência. Hoje, é este o dia-a-dia da lisboeta.

Sem esquecer as passerelles nacionais, no ano passado desfilou para nomes como Alexandra Moura, Alves Gonçalves, Luís Buchinho, Miguel Vieira e Nuno Baltazar, pelo Portugal Fashion. Este ano, a azáfama repete-se na capital já este fim-de-semana, na edição Insight da ModaLisboa.

Chegada da Tunísia, onde foi fotografar um editorial para o espanhol El País, será no sábado, dia 9, que a modelo volta a vestir design nacional.

Ainda antes da sessão fotográfica, esteve em Itália, onde pisou as passerelles da Semana da Moda de Milão para desfilar uma vez mais pela Dolce e Gabanna.

E tempo para cuidar de si?

Quer seja cá ou ‘lá fora’, os seus treinos não variam muito. Ou pelo menos assim tenta. “A preparação física não acontece numa altura específica de desfiles. É sim uma atividade constante ao longo de todo o ano. No meu trabalho, tanto podemos estar a fotografar roupa de Verão no Inverno como Inverno no Verão. Gosto de me sentir sempre bem e pronta para qualquer desafio.”

Para este à vontade com o próprio corpo, a modelo opta por pilates e yoga, modalidades que pratica regularmente. Além disso, faz caminhadas como forma de aproveitar o ar livre sempre que está bom tempo. Ainda, os treinos de eletroestimulação muscular são lhe também uma opção.

Mas porque viajar constantemente faz parte do seu trabalho, Maria Clara não nega que o ritmo frenético, jetlegs e mudanças de horários não ajudam. Mas garante: “arranjo sempre motivação para o fazer nem que seja 20 minutos ao acordar pela manhã.

“Sinto que ganho logo outra energia para enfrentar o dia que se segue”.

Já as rotinas de beleza…

A nível de treino, a rotina é sempre a mesma. Já para a pele e cabelo, a modelo responde à quantidade de produtos a que os desfiles obrigam com outros cuidados.

Sem grandes extremismos, diz que “nunca é má ideia fazer uma máscara no cabelo na noite anterior. O mesmo para a noite após as semanas da moda, para ajudar a hidratar os fios de cabelo. Em relação à pele, é extremamente importante retirar a maquilhagem a 100% para poder respirar e descansar antes de levar novamente com maquilhagem”. “Uma máscara antes de dormir no dia anterior aos desfiles” é o ‘mimo’ com que a sua pele conta.

Quando lhe perguntamos por outros rituais, a modelo admite que “uma massagem nos pés sabe bem”. Qualquer modelo que desfile numa semana da moda vai passar horas de pé, muitas das quais de salto alto. O que normalmente não se sabe é que é bastante comum as modelos desfilarem com calçado que não lhes serve. “Há que escolher entre o tamanho acima ou abaixo. Sempre que posso, opto pelo tamanho abaixo, prefiro garantir que não perderei o sapato na passerelle”. Boa dica profissional, que explica a necessidade da tal massagem nos pés.

Ser vista pelo mundo inteiro

Rotinas de treino e beleza à parte, a Women’s Health quis também perceber como é que uma modelo de 21 anos distingue os grandes eventos de moda. A resposta foi bem direta: “Não há comparação possível”.

Um contraste que Maria Clara justifica pelo maior orçamento e “importância que permite às organizações sonhar mais alto e criar sets magníficos para cada designer individualmente”. Além disso, reconhece que “a exposição que um manequim tem ao desfilar num palco ‘lá fora’ é extremamente maior do que em Portugal. Estamos a ser vistos pelo mundo inteiro.”

Não só por ter experienciado esta janela para o mundo como pelo reconhecimento que foi desfilar na coleção de estreia, a modelo lembra o marco que foi “presenciar o nascer da primeira coleção da nova Céline pelas mãos de Hedi Slimane. Foi uma das melhores experiências que tive até hoje”, admite, sem esquecer que “cada trabalho tem o seu encanto e todos marcam de forma diferente”.

Percorra as imagens da fotogaleria para recordar um pouco da experiência com que já conta a modelo.


Leia também:

Os estilistas renderam-se ao conforto em Nova Iorque

Brand Story