Menu
Inicio Perder Peso “Amo-me como sou, mas tal não significa não lutar pela minha melhor...

“Amo-me como sou, mas tal não significa não lutar pela minha melhor versão”

Não gostava de si até sair de uma relação tóxica. Hoje, faz por chegar a muitos mais a lição que aprendeu: não há nada como sentir-se bem no próprio corpo.

mudança

Ana Carolina Gonçalez tinha saído de uma relação tóxica, onde era vítima de violência no namoro, quando entrou em contato com a Women’s Health para contar a sua história de superação – física e, principalmente, psicológica. “Tinha deixado de olhar para mim, fizeram-me deixar de gostar de mim. Mas, escolhas erradas à parte, e porque não estou aqui para falar disso, consegui fugir de tudo e voltar a encontrar-me”, começa por expor a nossa leitora, com a garra de quem sabe o que quer e para onde quer ir.

Recuemos um pouco, até ao momento em que Ana Carolina começou a cuidar de si:

Durante a licenciatura, fase na qual estava numa relação tóxica, ganhou 20kg que a levaram a pesar 86kg. Sem controlo nem pesagens, após a relação perdeu 10kg – “simplesmente aconteceu”, admite. Foi pois em abril de 2020, durante a quarentena, que decidiu por mãos à obra e treinar. Primeiro, na sua varanda, com o apoio dos mil e um vídeos que encontrava na internet. Todas sabemos que não foram poucos os vídeos de treino partilhados durante o primeiro confinamento, e Ana Carolina sente que os fez a todos. Quando tal foi possível, inscreveu-se num ginásio para dar continuidade aos treinos e chegar aos 64kg. Primeiro com aulas de grupo e, quando sentiu que o seu peso estagnou, com treinos acompanhados por um PT.

Aquele esforço físico, a disciplina e o cuidar de si fizeram a nossa entrevistada perceber a importância de lutar por nós mesmas para concretizar os nossos sonhos. No seu caso, o sonho de ser mais feliz e segura no seu corpo e com a sua vida. Por tal sentimento de superação e concretização, Ana Carolina propôs-se a um novo objetivo: o de tirar o curso de Técnico Especialista em Exercício Físico. “Levei tudo isto tão a sério que me apaixonei por cuidar de mim. Quero ser personal trainer, quero dar o meu exemplo e ajudar pessoas a concretizar os seus sonhos”, conta.

“Não é perfeita, é feliz”

Certa de que o seu novo físico é consequência da sua principal mudança – a interna, Ana Carolina Gonçalez esclarece que não quer passar uma imagem de perfeição. “Quero que percebam que todos temos quebras e que está tudo bem com isso. Às vezes é preciso chegar ao 0 para voltar em força”. “Há sempre oportunidade de voltar a estar cá em cima”, garante.

Para Ana Carolina, este é um caminho que só faz sentido quando feito com as bases certas. “Aos 17 ou 18 anos já havia perdido peso. Cheguei aos 58kg e foi a altura em que fisicamente me senti melhor”, admite. Contudo, tal perda de peso foi feita sem acompanhamento quer a nível de treinos, quer de alimentação. Conclusão? Sentia-se demasiado fraca. A ilustrar esta comparação, entre a Ana Carolina de 18 anos e a de hoje, lembra o dia em que, no supermercado, pegou numa garrafa de água de 1,5L de uma prateleira alta e achou demasiado pesada. “Hoje, trago do supermercado 4 garrafões de água ao mesmo tempo sem esforço nenhum”.

Segredo? O casamento perfeito entre alimentação e treino

Esta diferença, sabe a própria, resulta do casamento perfeito entre alimentação e treino. “Podemos ter o melhor treino do mundo, mas sem uma boa alimentação não vamos lá”. Assim garante, sem esquecer o seu próprio mau exemplo no passado em que retirou da alimentação grande parte dos hidratos de carbono. “Perdi grande parte da minha energia e tal gerou compulsão alimentar”.

Olhando para trás, aquela relação “talvez tenha sido o boost necessário para uma renovação física e psicológica; para me sentir melhor comigo; para me valorizar de novo, para ir ao encontro, na totalidade, do que é amar-me. O facto de me aceitar e me amar como sou não significa que não lutar cada dia para ser a melhor versão de mim mesma”, diz-nos. “Não se trata apenas de perder peso, mas sim de ganhar mais saúde – física e psicológica!”.


Se também tem uma história de superação e gostava de partilhar o seu testemunho na Women’s Health, envie-nos um email para [email protected]

Brand Story