Menu
Inicio Nutrição Alimentação e função intestinal. Entenda a relação

Alimentação e função intestinal. Entenda a relação

Que a função intestinal é, em grande parte, resultado da alimentação, já sabemos. Mas sabe que alimentos e estratégias a melhoram?

Inchaço, obstipação, flatulência, diarreia… São problemas que muitas vezes incomodam. E que a função intestinal é, em grande parte, resultado da nossa alimentação já sabemos, o que pode não saber é quais os alimentos e estratégias que pode utilizar para melhorar a sua função intestinal.

A obstipação é, por definição, crónica quando o indivíduo fica por um período de 3 ou mais dias sem evacuar. Além da frequência, também o grau de dor e dificuldade em evacuar devem ser tidos em conta. Fezes duras e defecações dolorosas são, normalmente, sinónimo de falta de hidratação. Por outro lado, a obstipação também pode ser provocada por um consumo insuficiente de fibras.

O consumo de fibras sem acompanhamento de água pode levar a episódios de obstipação graves, não permitindo a evacuação

De um modo geral, a obstipação provem como consequência de uma alimentação pobre em fibras, ingestão insuficiente de água ou até pela falta de atividade física. No entanto existem outras razões que podem provocar estes episódios. Certos medicamentos, como os antibióticos, por exemplo, têm um grande impacto no equilíbrio da flora intestinal, o que muitas vezes acaba por ser responsável por situações de obstipação ou, por outro lado, diarreias. O stress e as mudanças de ambiente também podem ser responsáveis por uma irregularidade intestinal e até flatulência.

Uma dieta pobre em fibras e rica em açúcares pode desencadear algum desconforto e prisão de ventre.

Alguns cereais, como o arroz, por exemplo, também podem provocar este efeito, principalmente o caldo ou água onde é cozido o arroz. Fruta cozida, banana e cenoura cozida podem também ser causadores que alguma dificuldade em evacuar. Por outro lado, podem ser muito eficazes no combate à diarreia.

Não só quem sofre de obstipação, mas toda a população, de um modo geral, deve procurar alimentos ricos em fibras, solúveis (depois de ingeridas formam um “gel” que retém água e, consequentemente, aumentam o volume fecal – presentes, maioritariamente, na fruta) e insolúveis (formam uma espécie de rede que arrasta e acelera o trânsito intestinal – normalmente encontram-se nas cascas da fruta, legumes e cereais integrais).

Cereais integrais, linhaça, ameixa e leguminosas são os alimentos que mais contribuem para a normalização do trânsito intestinal quando há prisão de ventre.

Também o consumo de água deve ser priorizado. No intestino, as fezes absorvem água. Quanto mais água tiverem disponível para absorver mais fácil será o processo de defecação… Mais eficaz e menos doloroso. Além disso, o consumo de fibras sem o acompanhamento da água pode até ser perigoso! Sem água as fibras têm mais dificuldade em expandirem-se e fazer a sua função, o que pode levar a episódios de obstipação grave por excesso de fibras que não foram hidratadas e acabam por formar um rolhão, não permitindo a evacuação.

Quer saber quais os melhores aliados? A WH fez uma seleção de produtos que beneficiam a função intestinal (à venda nas lojas Celeiro)

Superalimento Fibramix
Bio, 6,99€
Flocos de arroz para arroz
doce Bio sem glúten, 3,99€
Frutos e fibras em cubos forte, 12,40€
Farelo de trigo biológico, Granosson, 3,59€
Linhaça dourada triturada Bio sem glúten, 2,20€
Fibra de casca de psílio
em pó Bio, 4,79€
Puré de ameixa Bio,
2,13€

Artigo escrito por Catarina Esteves, equipa de nutrição Celeiro

Brand Story