Menu
Inicio Living Agricultura urbana: 6 segredos para ter uma horta de sucesso em casa

Agricultura urbana: 6 segredos para ter uma horta de sucesso em casa

Seja na varanda, no terraço ou até na bancada da cozinha, as hortas caseiras ganham cada vez mais destaque nas casas portuguesas.

Pexels

A agricultura urbana é uma das estratégias de sustentabilidade mais procuradas do momento, sobretudo por quem vive na cidade e pretende ter um estilo de vida mais verde e próximo da natureza. Hoje em dia, as pequenas hortas caseiras invadem o feed de Instagram e não é assim tão difícil aderir a esta moda. Para prová-lo, pedimos ajuda a André Maciel, do projeto HortasLx (@hortas_lx).

Antes de sujar as mãos com terra, há que tirar alguns apontamentos. Vamos a isso?

Escolher o espaço

“É sempre possível ter uma horta em qualquer lado”, começa por nos dizer André Maciel, embora não aconselhe a criação “em zonas muito poluídas ou junto a estradas onde o tráfego é abundante”. Com uma maior área de atuação em Lisboa, “nas HortasLx desenhamos e planeamos uma horta à medida da pessoa, à medida do seu tempo”. O projeto dispõe também de formações e workshops digitais que permitem a qualquer pessoa, em qualquer parte do país, criar uma horta orgânica consoante o seu tipo de casa.

“Se não conseguirem criar uma horta em casa podem sempre, criar no telhado do prédio, na empresa, no bairro ou escola, e assim construir um caminho
para uma comunidade sustentável”, destaca.

Pouco espaço? Muito alimento

Para quem tem varandas pequenas, o projeto HortasLx aconselha “tudo o que seja de trepar, pois ocupa menos espaço, como o feijão, tomateiro, ervilhas e também aromáticas”. Já quem pretende apenas cultivar na bancada da cozinha, André Maciel sugere “germinados de feijão mungo, lentilhas, rabanetes, coentros, etc.”.

Procurar a melhor luz

“Uma horta nasce com quatro a cinco horas de exposição solar”, explica André Maciel. O seu projeto dá “alternativas para quem não tem estas condições”, como é o caso dos “germinados em cima da bancada da cozinha. Com água e sementes pode fazer nascer alimento em casa”.

Investir nos materiais

Hoje em dia não faltam boxes e conjuntos de cultivo destinados a hortas caseiras. A HortasLx dispõe de boxes e alcofas que prometem facilitar a vida dos iniciantes à agricultura. Para quem tem um orçamento mais limitado, o segredo está no simples “conceito de reciclagem”, diz André Maciel, que dá um exemplo: “a utilização de rolos de papel ou caixas de ovos de cartão é sempre uma boa solução para germinar os vegetais em casa. Depois podem utilizar uma caixa de madeira ou uma palete para transplantar o que semeou. O ideal será transplantar quando a planta tiver mais de 5 cm e até quatro folhas”.

Estudar os alimentos

Fica aqui a dica valiosa: há vegetais que não devem ser plantados juntos. “Existem boas e más vizinhanças na horta. Há plantas que se beneficiam entre si. Por exemplo, o manjericão e tomateiro são uma consociação de culturas favorável. Já o pimento e o rabanete são associações desfavoráveis”. Além disso, André Maciel fala da importância de “seguir a calendarização das hortícolas, calendário primavera-verão e outono-inverno”.

Regar e cuidar com consciência

Antes de mais, nada de afogar o que está a plantar! “Nos germinados e no regrow, a água deve ser mudada de dois em dois dias”, esclarece. E como o objetivo é ser o mais sustentável e ecológico possível, “podem reutilizar a água para regar outras plantas em casa”, aconselha. Quando o objetivo é salvar um alimento, “a prática do regrow” é uma mais-valia. Trata-se de “uma segunda oportunidade ao alimento, por exemplo, colocar a raiz do alho francês em água irá ver que nascerá outro”.

E quando há pouco tempo?

Nada como deixar-se render às hortas inteligentes, como a da Noocity. “Este equipamento tem um reservatório de água que rega as plantas durante 2 semanas e necessita de pouca manutenção. Assim, as pessoas que têm pouco tempo podem sempre usufruir de uma horta que lhes fornece alimento”, esclarece André Maciel.

Lição de agricultura: Terra ou substrato?

“A terra é a primeira camada do solo misturada com restos de matéria orgânica, como folhas, caules e cascas. O substrato é uma mistura de terra e componentes específicos que garantem a sustentação para as raízes da planta. Para uma horta caseira convém a junção do substrato com húmus de minhoca, que tem todos os macro e micronutrientes para as plantas na horta”.

Brand Story