Menu
Inicio Nutrição Afinal, qual a melhor gordura?

Afinal, qual a melhor gordura?

A gordura é um dos macronutrientes essenciais à alimentação do Homem, mas nem todas são aconselhadas. Neste artigo, ensinamos-lhe a distinguir,

gordura

Embora este seja um termo generalizado, o certo é que “não existem propriamente gorduras boas e más. Precisamos de consumir gordura de todos os tipos”, começa por explicar Helena Real, nutricionista da Associação Portuguesa de Nutrição. A especialista, que é também secretária-geral da mesma associação, esclarece que há tipos a privilegiar.

As gorduras insaturadas, presentes em alimentos como o azeite, deverão ser consumidas mais frequentemente do que as gorduras saturadas, como a manteiga, que são de menor qualidade.

Como funcionam as gorduras?

A ciência identificou três tipos de células no tecido adiposo: a bege, a branca e a castanha. Uma alimentação mais saudável prefere a atividade da gordura castanha. Quando a gordura bege ativa a castanha, aumenta-se a queima de gordura e reduz-se a inflamação, assim como o risco de problemas a nível metabólico. Por outro lado, quando a gordura bege se torna branca, reduz-se a queima de gordura e aumenta-se a inflamação e o risco de problemas a nível metabólico.

Que quantidade ingerir?

Várias são as funções do organismo que dependem da existência de gordura, garante Helena Real, que alega a importância de se adaptar sempre as doses a ingerir às necessidades de cada um. Consciente da escolha da melhor gordura, resta-lhe, de uma forma geral, prestar atenção aos rótulos, “não exagerando no consumo de alimentos com mais de 5g de gordura saturada por cada 100g”, conclui a nutricionista.

Como saber que gordura evitar?

É fácil saber onde a gordura está, se estamos a comer muita ou pouca quantidade, o que facilita o processo na hora de saber “de onde a posso e devo tirar e em que alimentos a devo deixar”, explica Alexandra Bento.

“A gordura da carne, antes de ser confecionada, deve sair”, diz, referindo-se à pele do frango ou gordura dos bifes por grelhar. Além disso, há que “ser cautelosa com a gordura que adicionamos para a confecção culinária”. Prefira cozinhar com um fio de azeite, remata a bastonária.

Quatro tipos de sementes pouco usadas

Castanha-do-brasil

Castanha-do-brasil

São as maiores que encontra num mix de nozes e sementes. 12 unidades desta noz garantem 9 g de proteína, 5 g de fibra e uma mão-cheia de gorduras boas.

Noz-macadâmia

Ganham um excelente sabor quanto torradas, moídas e misturadas com aveia ou num iogurte cheio de fruta.

Sementes de cânhamo

cânhamo

Também designadas por coração de cânhamo, são altamente ricas em gordura monoinsaturada e igualmente cheias de sabor. Use-as enquanto topping numa sopa ou numa salada, para alguma textura.

Sementes de abóbora

sementes abóbora

Não devem aparecer lá em casa só na altura do Halloween. São bastante saborosas enquanto snack se as temperar e assar. Contam também com bastante fibra.

Brand Story