Menu
Inicio Beleza Acabe de vez com o cabelo de quarentena

Acabe de vez com o cabelo de quarentena

O seu cabelo enfraqueceu passadas semanas sem sair de casa? É normal e está na hora de resolver. Acabe de vez com o cabelo de quarentena.

Acabe de vez com o cabelo de quarentena

E se lhe dissermos que as últimas semanas de confinamento podem ter causado alguns danos ao seu cabelo? Não, não falamos apenas de bad hair days que passaram despercebidos ou de raízes à mostra. Falamos de uma mudança de hábitos com consequências diretas na saúde capilar. E temos soluções.

E sem que estivéssemos preparadas para tal, tudo mudou. E, passadas semanas de confinamento, percebemos que as consequências são aos mais vários níveis. Até mesmo no cabelo.

“A pandemia de covid-19 trouxe grandes mudanças na rotina das pessoas e também tem gerado ansiedade e medo relativamente à situação presente e futura. Medo da infeção, medo relativamente à continuidade do trabalho e rendimentos. Em casa, com limitação das saídas, também é fácil alterar hábitos alimentares, não se tendo tanto cuidado com a ingestão de alimentos frescos, frutas e legumes, assim como limitamos ainda a exposição solar”, começa por nos dizer a dermatologista Rita Travassos, do Hospital CUF Descobertas, em Lisboa. E que consequências é que essa inquietação constante trouxe? Muitas, sendo “a queda de cabelo é uma queixa frequente, quer associada a alteração do estado emocional (uma causa frequente de deflúvio telogénico) como alterações alimentares e défice de aporte de ferro e vitaminas (nomeadamente a vitamina D)”.

É certo que a perda de cabelo é um dos maiores terrores das mulheres, mas há uma forma de combate e tudo depende do esforço de cada uma em manter a normalidade, dentro do possível, claro.“Há que tentar manter uma rotina saudável, com horários e refeições equilibradas”.

Comer alimentos que sejam ricos em vitaminas e minerais – frutas e vegetais com fartura, claro – e optar por proteínas magras, frutos secos e uma boa hidratação são estratégias a ter em conta, assim como evitar os alimentos processados e repletos de açúcar. Além disso, a especialista sugere “manter exposição a luz natural, cerca de 20 minutos diários (mesmo que seja só à janela de casa).

Manter-se ativa na vida em casa, com tempo dedicado a atividade física, trabalho e atividade lúdica/descanso. As rotinas permitem a gestão do tempo e diminuem potenciais fatores geradores de ansiedade”.

 

A importância do cuidado

Ora, se não aplica no rosto oleoso um creme para pele seca, também não vai aplicar no cabelo seco um champô anticaspa, certo? Fazer boas escolhas é o primeiro passo para manter um cabelo bonito e saudável. E os cuidados básicos continuam a ser o pilar desta missão – não havendo, de todo, necessidade de recorrer a mezinhas caseiras, pois existe já um sem-fim de opções no mercado.

“Para começar, a frequência das lavagens deve ser adaptada às características do seu cabelo. O couro cabeludo mais ‘oleoso’ deve ser lavado com mais frequência, até uma vez por dia, e com champô adequado. Os cabelos tratados quimicamente, nomeadamente pintados, com alisamento ou outros tratamentos potencialmente agressivos, são mais secos, necessitando de lavagens menos frequentes. Com o processo de envelhecimento, o couro cabeludo também produz menos ‘oleosidade’, pelo que as lavagens também deverão ser menos frequentes. Se apresenta descamação do couro cabeludo, a vulgar caspa, também deverá adaptar a frequência e o tipo de champô a esta situação”, esclarece a dermatologista, concluindo que na prática, deve “escolher o champô adaptado às características do seu cabelo: oleoso, seco, com descamação do couro cabeludo/caspa/dermite seborreica ou pintado”.

Quanto à velha teoria de que se deve mudar de champô consoante a estação do ano – ou mais ou menos a cada três meses -, Rita Travassos diz que tal deve acontecer “se notar que há alteração das características do couro cabelo de acordo com a estação do ano, nomeadamente mais seco ou mais oleoso”.

E quando voltar a ter os cabelos ao vento? Os cuidados básicos devem manter-se, mas, “durante o verão, em que a exposição solar e os banhos na água do mar e piscina são mais frequentes, deve aplicar produtos protetores específicos, nomeadamente protetores UV capilares antes de exposição solar e lavagem com aplicação de condicionador/ amaciador após banho em água salgada/piscina”.

Brand Story