Menu
Inicio Uncategorized A saúde dos sorrisos em tempo de pandemia

A saúde dos sorrisos em tempo de pandemia

Aprenda a cuidar de si!

Dr. Khaled Kasem
A saúde dos sorrisos em tempo de pandemia
iStock

POR Dr. Khaled Kasem, chefe de ortodontia da Impress

Há quase um ano que a pandemia entrou nas nossas vidas e as alterou profundamente. Aquilo que para nós era o normal é-nos agora estranho, e vivemos sob novas regras a que tivemos de nos sujeitar, mas que ainda custam a aceitar. Depois de tantos meses nesta nova realidade, já é possível perceber com maior clareza as consequências trazidas por este inimigo invisível, e se já era expectável que os sorrisos se desvanecessem, o mesmo não se pode dizer dos cuidados de saúde oral que, aparentemente, também acabaram por ser confinados.

Sorrir em tempo de pandemia pode ser tarefa difícil, seja pelos motivos óbvios, seja pelos sorrisos terem de ficar escondidos por detrás de uma máscara. Independentemente da razão, a verdade é que a pandemia teve consequências diretas no cuidado da saúde oral. O mundo mudou, as rotinas alteraram-se e houve hábitos que se perderam. Se antes lavar os dentes três vezes ao dia, por exemplo, era o normal, não nos esqueçamos de que agora o “normal” é outro e há hábitos que parecem ter ficado esquecidos no mundo pré-COVID.

O início da pandemia trouxe um confinamento geral que obrigou a que se fechassem portas: as das empresas e estabelecimentos para que ninguém lá entrasse e as das casas das pessoas para que ninguém de lá saísse. Ora, se ninguém podia sair de casa e ir, como regularmente o fazia, à sua clínica dentária ou ortodontista, houve tratamentos que ficaram perdidos pelo caminho. E tendo em conta que os dentes ainda não se tratam sozinhos, esta impossibilidade de contacto entre paciente e profissionais de saúde levou a um claro retroceder no cuidado da saúde oral e da saúde dos sorrisos.

Se recuperarmos ainda a ideia de que os sorrisos ficam agora mais escondidos é possível fazer uma associação direta com este diminuir dos cuidados. O facto de as pessoas terem de estar “isoladas” leva a um maior descuido com aqueles que são os cuidados habituais, tendo em conta que as consequências acabam por não ser visíveis aos olhos de todos ou que não existe um “evento” que justifique manter as rotinas e cuidados anteriores.

A par dessa alteração de rotinas, acresce uma questão alimentar. Em tempos de incerteza e receios, onde nos vemos obrigados a permanecer em casa, o grande conforto está muitas vezes na despensa! E se dúvidas houvesse, aquilo que comemos tem uma influência inevitável na nossa saúde oral. A ingestão de doces, açúcares e hidratos contribui ferozmente para o surgimento de bactérias que se alojam nas cavidades dentárias e que dão lugar a um problema bem comum: cáries. As cáries podem ser prevenidas e podem ser tratadas, mas nunca podem ou devem ser esquecidas.

Perante o contexto pandémico ao qual, infelizmente, ainda estamos sujeitos por tempo indeterminado não é de estranhar que também a saúde oral tenha sofrido represálias, mas perante a incerteza e a impossibilidade de saber quando iremos retomar a normalidade, é preciso garantir que esta nova realidade não foge, pelo menos assim tanto, à regra. Além dos cuidados básicos, é preciso garantir que as pessoas não se esquecem de que a saúde oral também é saúde e não pode parar. E mesmo com limitações, há sempre motivos para investir nos sorrisos e sorrir com confiança.

A digitalização dos serviços, especialmente os de tratamento ortodôntico invisível, permitem que as pessoas possam investir em si e no seu sorriso sem necessitar de se deslocar às clínicas. Marcas do mundo da ortodontia, como a Impress, permitem que o acompanhamento profissional aos pacientes possa ser feito através da tecnologia, sendo a monitorização do tratamento feita através de uma app. E ainda que a tecnologia não substitua o trabalho humano, é uma ajuda fundamental para garantir que o mundo avança, mesmo quando parece ter parado.

Novo ano, o mesmo vírus, mas vamos tentar manter também os velhos cuidados com a saúde oral. Apesar de tudo, esta pode até ser a altura ideal para se investir num novo sorriso: o processo de tratamento fica escondido em casa, mas quando chegar altura de tirarmos a máscara, (re)descobrimos sorrisos confiantes, felizes e, sobretudo, saudáveis.

Brand Story