Menu
Inicio Saúde A pílula realmente ajuda no combate à acne?

A pílula realmente ajuda no combate à acne?

Sofre deste problema de pele? Fomos saber se a pílula pode ajudar a combater a acne.

A acne pode ter um impacto muito grande não só na saúde física, mas também na saúde psicológica, pois pode afetar a autoestima daqueles que têm de lidar com este problema.

A verdade é que estas imperfeições na pele podem afetar a vida social e afetiva daqueles que dela padecem. Não é um assunto novo e já existem milhares de soluções no mercado que prometem acabar com este problema de pele, no entanto, continua a ser uma questão complexa.

O que fazer quando já experimentou vários produtos e tratamentos faciais? A pílula anticoncecional pode ser uma solução? Fomos falar com o coordenador de Dermatologia do Hospital CUF, de Cascais, Diogo Pereira Forjaz, sobre o assunto e esclarecemos algumas dúvidas que parecem ainda não estar resolvidas.

A pílula pode ajudar a controlar a acne?

“Sim, a pílula pode beneficiar o tratamento da acne. Contribui para a manutenção dos níveis hormonais responsáveis pela produção excessiva de oleosidade da pele. De um modo geral, a pílula impede a ligação dos androgénios circulantes às glândulas sebáceas existentes na pele, reduzindo concomitantemente a oleosidade cutânea.

No entanto, a pílula não deverá ser tomada em todas as mulheres e nem em todas as idades, sendo indispensável o aconselhamento médico. Fatores como a hipertensão, a obesidade, o tabagismo, antecedentes de trombo-embolismo ou doenças pós-trombóticas podem limitar a utilização da pílula, ou até mesmo ser contra-indicada a sua prescrição em algumas situações.”

Existem opções de pílula melhores do que outras?

“As pílulas recomendadas no tratamento da acne são as designadas pílulas anti-androgénicas. Em Portugal, as pílulas recomendadas no tratamento da acne englobam a combinação de etinilestradiol com o acetato de ciproterona.

Recentemente, surgiram novos anti-conceptivos orais como segunda linha, alargando assim as opções terapêuticas. A toma poderá ser aconselhada para o tratamento da acne moderada e deverá ser utilizada apenas por adolescentes do sexo feminino ou mulheres adultas elegíveis para o efeito.”

Os resultados são imediatos?

“Os resultados não são imediatos. A melhoria da acne com este tratamento é visível geralmente no final do terceiro mês de terapêutica, com melhoria evidente ao fim de seis meses.

Na maior parte dos casos, observam-se resultados muito positivos, com o desaparecimento total das lesões cutâneas, ao fim de 12 meses de tratamento, complementado com tratamento tópico. De notar, que estas situações necessitam de uma avaliação prévia e acompanhamento regular de um especialista, concretamente de um dermatologista.”

Tem contra-indicações?

“Este método contraceptivo oral apresenta contra-indicações e alguns riscos associados, tendo como principal complicação o risco de acidentes trombóticos. Fotossensibilidade e alterações de humor ou comportamentais são igualmente as situações que podem surgir. Não deverão ser utilizadas por grávidas, doentes do foro oncológico e em pessoas que sofrem de doenças cardiovasculares.”

Existem outras alternativas no combate à acne, sem ser a toma da pílula? Se sim quais?

“Como alternativas no combate à acne, sugere-se a aplicação de tratamentos tópicos, outras terapias orais, como também tratamentos dermatológicos personalizados. A aplicação de dermo-cosméticos e fotoprotecção alta tópica adequada a cada tipo de pele é fundamental.

Outro tipo de medicação oral, como alguns antibióticos específicos, são muitas vezes utilizados. Dentro dos tratamentos dermatológicos, destacam-se os peelings químicos em forma isolada ou associados ao procedimento com “microagulhamento” médico, assim como a terapia fotodinâmica, o Laser ou a utilização de Luz Pulsada, sendo opções terapêuticas que podem também ser indicadas. Uma dieta equilibrada, reduzida em gorduras e açúcares e um estilo de vida saudável são recomendados.”

Brand Story