Menu
Inicio Treino É a nadar que se chega ao corpo de modelo

É a nadar que se chega ao corpo de modelo

Mergulhe neste guia para principiantes!

É a nadar que se chega ao corpo de modelo

Lily Donaldson faz Pilates, yoga, natação e aqua-running. Karlie Kloss ocupa o seu tempo livre com ballet, corrida e natação. Behati Prinsloo prefere o Pilates ou então é capaz de passar horas a nadar. Nota alguma coincidência, além de serem três dos anjos preferidos de Victoria’s Secret? Bingo: a natação. Imerja neste artigo e emergirá mais fit e feliz

A elítica é divertida, os halteres são os seus melhores amigos, mas tal como numa longa relação amorosa, o seu treino começa a cair na rotina. Se está à procura de uma modalidade que trabalhe o corpo todo, queime imensas calorias, lhe dê uma barriga de ferro, acelere o metabolismo e seja uma ótima desculpa para comprar um fato de banho novo, então a natação chama por si.

Nade como um peixe, fique igual a uma modelo

Comecemos pelo bê-á-bá: a natação é um dos poucos desportos que trabalha o corpo inteiro. “Quando é criado movimento, todas as cadeias musculares e articulares são solicitadas”, diz Bárbara Coelho, coordenadora nacional do programa Art of Swimming dos ginásios Holmes Place (ver caixa). Já está cansada? Relaxe, a natação não é só músculos: “O benefício mais imediato é o aumento da amplitude articular e a consequente redução de dores”, diz Cláudia.

A libertação de endorfinas e alívio do stress, a melhoria da circulação sanguínea (graças à pressão aquática exercida no sistema venoso e linfático), o relaxamento muscular (promovido pela temperatura da água, entre os 30 e os 32 graus), são outros dos resultados que colocam a natação, para muitos, com vantagem em relação à corrida.

Aliás, um estudo recente da Harvard Medical School (a faculdade de Medicina da Universidade Harvard, nos EUA) concluiu que as pessoas que nadam com regularidade têm uma saúde cardiovascular geral melhor do que as que ‘apenas’ correm.

Mergulhe na fonte da juventude

A água é cerca de 800 vezes mais densa que o ar e cada braçada ou pontapé é como um treino de resistência para todo o corpo, especialmente para as regiões dos quadris, braços, ombros e glúteos (uhuh!). Por isso, além de queimar calorias, está também a construir massa muscular magra, que influencia no metabolismo e dá para queimar calorias mesmo quando já está no duche a passar champô.

Mas nem tudo é sobre músculos e a natação é também o desporto-rei para quem está a recuperar de lesões, além de se adaptar a todas as idades. A natação emagrece e tonifica, mas também é ‘gentil’ com o seu corpo. A água neutraliza a gravidade dando uma folga às suas articulações. E tudo isso faz da natação um desporto sem prazo de validade, isto é, pode fazer durante toda a sua vida porque pode, literalmente, ajudar a fi car e a sentir-se mais jovem. Há estudos que afi rmam que nadadores habituais são biologicamente mais jovens do que a sua idade real. Quer um empurrãozinho fi nal? Uma sessão fácil queima cerca de 500 calorias por hora. Um esforço intenso pode derreter quase 700 (sim, leu bem!).

Ir ao fundo… da questão!

Dar um primeiro mergulho numa piscina pode ser intimidante. E incorreto. “A natação é um dos mais antigos e populares tipos de exercício físico, no entanto um grande número de pessoas não possui uma técnica de nado suficientemente boa e acaba por não tirar o máximo benefício do tempo que despende dentro de água”, reforça a especialista do Holmes Place. A maioria das novatas entra na piscina com grandes expectativas. Cinco minutos depois, estão encostadas à box.

Não interessa se é capaz de correr 5 quilómetros: pode nem ser capaz de dar duas braçadas. Isto porque o treino dentro de água requer que o sistema cardiovascular e os músculos trabalhem de forma diferente do que em terra. Além disso, os pulmões precisam ajustar-se a uma nova forma de respiração (está na hora de poupar!).

Como começar?

Não precisa de ser uma atleta medalhada para entrar dentro de água. Mas achámos que facilitava ter a ajuda de um treinador olímpico. Élio Terrível, treinador do nadador olímpico Diogo Carvalho, dá algumas dicas de como começar. Depois de um check up médico e de um bom aquecimento, “comece por nadar curtas distâncias devagar durante pouco tempo. Aumente progressivamente a distância total nos treinos seguintes.

Quando se sentir confortável com um ritmo, determine o seu intervalo de descanso, o mais curto possível. Aumente novamente a distância a percorrer. Aumente novamente a distância das repetições até conseguir nadar sem parar durante 20 segundos. Continue a criar desafios e tente aumentar o ritmo de nado durante os 20 segundos. Posteriormente aumente o tempo de nado para 30 segundos”.

Encare-o como um ritual de passagem e não pense que está a desperdiçar tempo ao fazer pausas de descanso. A natação não é como a caminhada, onde a frequência cardíaca cai rapidamente. Na piscina ela permanece alta por pelo menos 30 segundos depois de algumas voltas. Boas braçadas!

Uma piscina, diferentes braçadas

Daniel Marinho é docente da Universidade da Beira Interior, investigador do Centro de Investigação em Desporto, Saúde e Desenvolvimento Humano. O também colaborador da Federação Portuguesa de Natação explica o que, até agora, parecia chinês!

Percorra as imagens da galeria acima apresentação e conheça a explicação do especialista.


Leia também:

Vitamin Sea: Desfrute do calor e perca mais peso na praia

Brand Story