Menu
Inicio Living 84 anos e quase 800 medalhas. O que inspira esta atleta?

84 anos e quase 800 medalhas. O que inspira esta atleta?

A americana Flo Filion Meiler já bateu vários recordes. Agora, prepara-se para os National Senior Games, que acontecem já em junho, no México.

84 anos e quase 800 medalhas ganhas. O que inspira esta atleta?

Salto com vara, pentatlo moderno, salto em altura, corrida com barreiras e 4×200 metros em estafetas. Flo Filion Meilen pratica todas estas modalidades. Em março deste ano, comprovou que é das melhores, trazendo para casa a medalha de ouro nestas cinco categorias, que competiu no âmbito da mundial, World Master Athletics Championships Indoor. No mesmo evento, que teve lugar em Torún, na Polónia, garantiu ainda a medalha de prata no triplo salto e salto em comprimento.

Esta foi apenas a última prova em que a atleta de 84 anos provou que a idade não é uma barreira. Mas antes destas 7 medalhas, várias centenas já faziam parte do seu vasto portfólio. Ao todo, são 775 medalhas arrecadadas num percurso de várias décadas, e espera-se que a ‘coleção’ não fique por aqui.

Em entrevista à revista Self, Flo partilhou aquilo que a inpsira, como treina e quais os seus objetivos futuros.

Uma vida ativa desde nova

Nascida na cidade de Champlain, em Nova Iorque, Florence Filion Meiler – ou Flo, como é conhecida – ganhou força nos trabalhos de campo em que ajudava a família. No secundário, aproveitou esta energia e força para se destacar em vários desportos desde basquetebol a ginástica acrobática. A par deste lado mais atlético, participou também no clube de teatro, tocou piano e órgão no coro da igreja. “Era uma estudante bem ocupada”, admite.

Em adulta, o interesse passou para os desportos náuticos, onde competiu por três décadas. Mas foi aos 60 anos que, desafiada por Barb, uma amiga, aceitou entrar nas competições do Vermout Senior Games, onde tentou o salto em comprimento, mesmo nunca o tendo feito anteriormente.

Durante os 20 anos seguintes, as duas tornaram-se companheiras de competição, constantemente desafiadas uma pela outra. Mas, por questões de saúde, Barb precisou de fazer uma pausa nos treinos, por isso Flo tem treinado sozinha nos últimos cinco anos. “Sinto a sua falta”, admite a atleta, que garante não ser fácil encontrar outro companheiro de treino. “Acho que é porque eu treino demasiado e não há quem esteja interessado em treinar todas estas horas. Por isso, faço o meu melhor por mim própria”, responde.

“O meu cabeleireiro diz que não pareço ter mais de 70 anos”

A própria Flo reconhece estar em muito boa forma para alguém de 84 anos. Um resultado que vem dos intensos treinos: duas horas por dia, cinco dias por semana. Às segundas, quartas e sextas, faz treinos indoor e na arena, desenhados por ela própria. Já às terças e quintas, opta por 25 minutos de pesos livres antes de passar a hora e meia de ténis. Próximo das competições, Flo acrescenta uma corrida de uma milha aos fins-de-semana.

É o caso dos treinos que pratica atualmente, já que se aproxima mais uma edição dos National Senior Games, onde o foco está em limar certas áreas em que se sente menos à vontade. “Após 25 anos, já sabes mais ou menos o que deves fazer. eu sei onde está a minha fraqueza, está na corrida, por isso é nisto que me vou focar nas próximas semanas”, conta.

Mas o foco não pode estar apenas na corrida, já que Flo se inscreveu em 11 modalidades, nesta que será a sua última competição no escalão dos 80 aos 85 anos.

A 7 de junho, faz 85 anos, o que lhe levará ao escalão acima – dos 85 aos 90 anos. “Mal posso esperar!”, admite, certa de que daí virão novas oportunidades de bater novos recordes.

“Preciso de estar na pista, não na cama”

Flo não é diferente da grande maioria dos atletas que, nos dias de mais frio, pensam em trocar o treino matinal por mais uma hora de sono, mas o seu foco é sempre mais forte. Em entrevista, conta que o que a motiva para ser assim foi ‘o bichinho’ da competição que ganhou com a sua amiga e companheira de treinos Barb.

Também a entusiasma as viagens entre competições, nas quais conhece outros atletas e tem a oportunidade de conhecer outras culturas. Uma vida dinâmica e que lhe dá o prazer de ser constantemente ativa. Quando não treina, tem aulas de dança com o marido com que está junto há 58 anos. Parar não faz, de todo, parte do vocabulário desta inspiração!


Leia também

Tem 72 anos e provavelmente é a avó mais fit do mundo

Brand Story