Menu
Inicio Treino Fez 50 abdominais diários e o resultado foi este

Fez 50 abdominais diários e o resultado foi este

Não é muito, nem é difícil. E os abdominais podem ser feitos em qualquer lugar. Que resultados esperaria se aderisse a este desafio de um mês.

Fez 50 abdominais diários durante um mês e o resultado foi este

Imagine começar o mês de janeiro com o compromisso de, todos os dias, completar 50 abdominais.

Não é nada que não se consiga, mesmo que não treine com grande frequência. E nem precisa de grande equipamento, só mesmo roupa confortável e um tapete de yoga. Foi uma repórter da Women’s Health quem aceitou o desafio e posteriormente deu o seu testemunho.

A morar em Nova Iorque, Jenn Sinrich seguia uma rotina saudável: participava em aulas de grupo no ginásio três a quatro vezes por semana e corria ao ar livre. Contudo, quando se casou a rotina mudou e Jenn viu-se perder o controlo da sua rotina de treino.

Um desafio de 30 dias que consistia naquele que é um dos exercícios mais simples de se fazer pareceu-lhe, por isso, uma proposta muito bem-vinda.

Antes que ficasse com grandes expectativas em relação aos abdominais definidos que poderia ganhar ao fim de um mês, Jenn Sinrich consultou dois especialistas. Ben Boudro, especialista em fitness, avançou desde logo que as mudanças seriam “mais psicológicas do que físicas”. Isto, porque existem exercícios mais eficazes para se trabalhar o core, contudo, o objetivo deste desafio não era propriamente a definição dos músculos abdominais.

Pelo contrário, “os desafios têm data de fim, por isso há uma luz ao fundo do túnel”. Tal ajuda a que se complete aquilo a que se desafiaram”, explica Boudro. Ou seja, é um desafio à mente, não ao corpo.

O outro especialista a que Jenn recorreu foi o personal trainer Chris Ryan que avisou que, com 50 abdominais diários, seria provável que sentisse as costas queimadas pelo tapete, ganhasse um pouco de elasticidade na zona das costas e notasse um pouco de definição nos abdominais superiores. Uma visão realista, mas um pouco menos animadora.

 

Uma experiência de 30 dias e quatro conclusões a retirar

Jenn Sinrich era realmente inexperiente a fazer abdominais em casa e sentiu na pele aquilo que Chris Ryan lhe explicou sobre as queimaduras no tapete. O exercício deve ser praticado numa zona plana, estável e que não seja agressiva para as costas. O tapete não é uma destas opções, como comprovou ao fim de dois dias após os quais passou a praticar no tapete de yoga – plano, mas não demasiado duro.

Outra conclusão a que chegou ainda antes de terminarem os 30 dias foi a de que os abdominais são feitos na cozinha. O compromisso foi apenas o de 50 abdominais por dia, nada em relação àquilo que comia.

Contudo, notou que a manhã seguinte a um serão de maiores exageros (o que acontecia principalmente ao domingo), resultava numa prática mais desconfortável e difícil. Pelo contrário, o corpo reagia muito melhor após uma refeição mais leve e ‘amiga’ do estômago.

 

As desculpas surgem sempre, mas os amigos ajudam

Jenn mora a cerca de quatro horas de distância dos seus amigos, logo, juntarem-se para treinar não era de todo uma opção. Mas mesmo à distância, saber que alguns amigos seguiam o mesmo desafio era uma forma de se automotivar a continuar.

Esta foi uma das formas mais relevantes que encontrou para contrariar a falta de vontade.

Mesmo sendo apenas 50 abdominais, que não carecem de quase tempo nenhum, as desculpas surgem. Para Jenn, foram várias as desculpas que várias vezes a fizeram adiar os 50 abdominais diários; ‘É fim de semana’, ‘acordei muito cedo e estou cansada’ ou ‘tive um dia muito agitado, mereço descansar’, foram algumas.

 

 

Apesar disto, não falhou a nenhum dos 30 dias a que se propôs. O resultado físico foi o esperado. Quanto ao psicológico, ficou mais que provado que o cérebro consegue ser o nosso maior inimigo. Mas a força de vontade que o contraria leva a uma sensação de ‘missão cumprida’ que dá mais vontade a que se continue a treinar mais e mais.


Artigo via Women’s Health Australiana.

Brand Story